Trabalhador rural morre afogado em represa no município de Presidente Olegário

O afogamento aconteceu no último sábado e o corpo foi localizado na data de ontem (28/01).
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Foto: Reprodução (P.O Notícias)

Um trabalhador rural morreu afogado em uma represa no município de Presidente Olegário. O afogamento ocorreu na fazenda Cafundó no sábado (27/01). O local fica situado há aproximadamente 50 quilômetros da cidade de P.O. De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, a vítima que trabalhava em uma carvoeira no local, teria entrado nas águas para se refrescar e acabou se afogando e perdendo a vida. O homem foi retirado de dentro da represa pelos militares do Corpo de Bombeiros na manhã deste domingo (28/01).

Segundo o Sargento Wanderson, os bombeiros foram acionados em Patos de Minas, onde os solicitantes relatavam que José Antônio Ferreira Ramos, 40 anos, natural de Ibiai no Norte de Minas, e que estava no local a trabalho, teria entrada numa represa para nadar devido ao forte calor e acabou se afogando e afundou (submergiu) nas águas. Chegando ao local, os bombeiros mergulharam e encontraram o corpo de José. Em seguida ele foi levado para o Instituto Médico Legal (IML).

- Continua depois da publicidade -

O Corpo de Bombeiros recomenda que nesta época do ano, com o calor intenso é comum pessoas procurarem todos os tipos de lugares onde existe água para nadar ou se refrescar. Por isso, mesmo sabendo nadar, é preciso evitar tomar banho em canal e nadar apenas onde dá pé.

Outra dica é importante é seguir as placas de orientação sobre os perigos dos balneários, represas e córregos. Evite também banhos em períodos de enchente ou em zonas de correnteza. Para não ficar preso em obstáculos do rio, use roupas leves. Fique atento à profundidade das águas.

TEXTO: Hamilton Amorim
FONTE: P.O Notícias

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -