Rodoviária de Patos de Minas: Quem precisa, reclama!

Comerciantes e usuários do terminal reclamam da insegurança e da má conservação. Também questionam o serviço prestado pela concessionária.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O Terminal Rodoviário de Patos de Minas é alvo de reclamações. Comerciantes, usuários e visitantes reclamam das condições de limpeza, da segurança e do funcionamento. Somente no primeiro mês de 2022, diversos crimes foram registrados, como roubos, furtos e até uma tentativa de homicídio.

O repórter Igor Nunes conferiu de perto a situação. O terminal se transformou em dormitório de pessoas em situação de rua, inclusive colchões são deixados nos corredores. Os usuários reclamam da limpeza e do jardim, “muito mal cuidado” comentou uma senhora que não quis se identificar.

Algumas pessoas se queixam do banheiro. Para entrar é necessário pagar R$ 1,00. Nossa equipe visitou os sanitários no início da noite de terça-feira (01/02) e verificou que naquele momento tudo estava limpo e conservado.

Na segunda-feira (31/01), uma farmácia foi furtada. O proprietário, Gisley Oliveira, reclamou da falta de seguranças no terminal. Além disso, afirma que o sistema de câmeras está em péssimas condições e as imagens são de baixa nitidez. Segundo ele, a limpeza também deixa a desejar.

Logo após o crime, o prefeito de Patos de Minas, Luís Eduardo Falcão (PODEMOS), recebeu comerciantes para uma reunião. Segundo Gisley, Falcão pediu que a concessionária contratassem seguranças, porém ela não teria demonstrado interesse.

Falcão disse em entrevista, ao Patos Notícias, que é uma questão de segurança pública, que é de responsabilidade do Estado de Minas Gerais, e também uma questão social, cuja responsabilidade é da prefeitura.

Segundo o prefeito, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social abordam os moradores de rua, porém a questão é de difícil solução. Falcão explica que muitas destas pessoas não querem e não aceitam ajuda do poder público.

Sobre o terminal rodoviário, Falcão falou que a gestão foi terceirizada há anos. Segundo ele, todos os contratos da prefeitura estão em revisão. Ele afirmou que a concessionária é constantemente cobrada.  “Realmente não está bom, a gente sabe disso, e realmente eu espero que nos próximos dias a gente tenha novidades em relação a isso. A situação tem que ser resolvida, o contrato tem que ser cumprido e se não for cumprido, a gente tem que buscar todas as alternativas”.

O comandante da base comunitária da Lagoa Grande, tenente Daniel Oliveira, contou que houve dois crimes violentos, sendo a tentativa de homicídio e um roubo. Em ambos os casos, os suspeitos foram presos.

Segundo ele, os delitos ocorreram devido ao ambiente degradado e a presença de moradores em situação de rua, que por vezes bebem e usam entorpecentes. “Porém a Polícia Militar está aí para reprimir estes delitos, da forma como foi feito”, ressaltou.

Tenente Daniel relembrou o furto na farmácia. Ele disse que a presença de seguranças poderiam ter inibido a ação. “Como é um ambiente terceirizado, as vezes é competência da empresa que terceirizou a tutela da rodoviária”, explicou.

A Polícia Militar está em contato com a concessionaria e com a prefeitura para encontrar uma solução para a insegurança no terminal, conforme detalhou o Tenente Daniel. Uma reunião está marcada para traçar metas para melhorar a segurança no entorno.

Na segunda-feira (25/01), o Patos Notícias entrou em contato, por telefone, com o gerente da Tijucana Concessões Ltda. Enviamos questionamentos, porém ainda não tivemos retorno. Também tentamos encontrá-lo presencialmente, na rodoviária, mas não conseguimos.

Em 31 de janeiro, solicitamos para a Prefeitura de Patos de Minas cópia integral do contrato de concessão do terminal rodoviário. Até o momento, o documento não foi enviado.

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

4 Comentários
O mais novo
Mais antigo mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Charles cesar
02/02/2022 20:57

Tbm acho um absurdo o alto valor cobrado pela senhorinha do guarda volumes, onde si paga mais de 10r por uma mala pra ficar o prazo de ao menos almoçar, onde pras pessoas mais humildes chegam com umas 4 ou mais malas, não tem condições de guardar suas coisa. A diferença é enorme comparado com outras rodoviárias, que cobram entre 1e 2 reais. Tem que ser revista essa citação, pois estamos em tempos difíceis, e o pobre sempre é mais prejudicado. Falei. CH

Ana Maria
02/02/2022 16:20

Simples….a concessionária que presta serviço nao ta cuidando? Nao paga e contrata outrra…simples assim… falta e um administrador que trabalhe pelo povo e para o povo ..

Joaquim da Chagas
02/02/2022 15:05

Os valores das tarifas de embarque cobradas pela administração deste terminal, são muito caras em relação a de outros terminais, como por exemplo o terminal de Brasília, o qual, diga-se de passagem foi construído com recursos 100% privados. Vão dizer que está tudo certo, dentro do previsto na legislação. Todavia, se os contratos estão sob revisão, basta apurar com carinho o decreto que autorizou a concessão deste terminal.

Justa sim
02/02/2022 15:02

Percebe-se que, com esta e outras reportagens onde o assunto é a rodoviária de Patos de Minas, o autor claramente é contra a sua terceirização, querendo a toda custo derrubá-la a todo custo juntamente com reclamações de comerciantes locais. Se o contrato não está sendo cumprido, o que resta é rescindi-lo, mas será que a Prefeitura ou outra empresa também estará apta para resolver todos os problemas existentes? É o que veremos em março de 2023

A responsabilidade pelos comentários é dos respectivos autores. Eles não representam a opinião do Patos Notícias. Comentários com 15 votos negativos a mais que positivos são removidos.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Usamos cookies para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências.  Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.