Relator suaviza regra de transição para serviço público e INSS

Compartilhe

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Os servidores públicos que ingressaram na carreira até 2003 terão direito a uma nova regra de transição, disse hoje (13) o relator da reforma da Previdência na comissão especial da Câmara dos Deputados, Samuel Moreira (PSDB-SP). A pedido do governo, a regra será estendida aos trabalhadores da iniciativa privada, que se aposentam pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Conforme o parecer apresentado por Moreira, os servidores públicos que tomaram posse até 2003 poderão continuar a se aposentar com integralidade (recebendo o último salário da carreira) e paridade (com os mesmos reajustes salariais dos ativos) antes de atingir a idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres. Segundo a equipe econômica, a nova regra de transição reduzirá a economia em torno de R$ 100 bilhões em 10 anos.

Leia aqui o parecer final

Pela nova regra, o servidor pagará pedágio de 100% sobre o tempo que faltar para ter direito a aposentadoria integral pelas regras atuais, desde que o funcionário tenha pelo menos 60 anos, no caso de homens, e 57 anos (mulheres). Dessa forma, o servidor que está a dois anos de aposentar-se com benefício integral terá de trabalhar mais dois anos, totalizando quatro anos, para ter direito ao benefício com integralidade e paridade.

Moreira explicou que o governo pediu para estender a regra de transição aos trabalhadores da iniciativa privada que estarão a mais de dois anos para ter direito à aposentadoria a partir da promulgação da reforma. De acordo com o relator, a equipe econômica fez o pedido para que a reforma da Previdência continue a combater privilégios.

Originalmente, a proposta do governo previa que o trabalhador que entrou no serviço público até 31 de dezembro de 2003 só teria direito à integralidade e à paridade se tivesse idade mínima de 65 anos (homens) e 62 (mulheres0. Para professores, a idade mínima cairia para 60 anos.

A outra regra de transição para o serviço público foi mantida. A proposta original cria um sistema de pontuação formado pela soma de tempo de contribuição e idade, que começaria em 96 pontos para homens e 86 pontos para mulheres em 2019, subindo gradualmente até atingir 105 pontos para homens e 100 pontos para mulheres em 2033.

Somente os servidores que alcancem essa pontuação e tenham pelo menos 20 anos de serviço público e cinco anos no último cargo poderão aposentar-se com 61 anos (homens) e 56 (mulheres) de 2019 a 2021, ou aos 62 anos (homens) e 57 (mulheres0 a partir de 2022. Nesse caso, porém, o servidor não terá direito ao benefício integral e à paridade.

Setor privado

Para os trabalhadores da iniciativa privada, o relator manteve as três regras de transição do texto enviado pelo governo. A primeira obedece ao critério da idade mínima, começando com 56 anos (mulheres) e 61 anos (homens), subindo gradativamente até atingir 65 anos (homens) e 62 anos (mulheres) em 2031. A segunda é o sistema de pontuação que soma tempo de contribuição (35 anos no caso dos homens e 30 anos, das mulheres) e idade, começando com 86/96 em 2019 até alcançar 100/105 em 2033.

A terceira regra de transição para o setor privado estabelece que o trabalhador que estiver a dois anos de cumprir o tempo mínimo de contribuição (30 anos para mulheres e 35 para homens) poderá aposentar-se sem idade mínima, mas com cálculo pelo fator previdenciário, que reduz consideravelmente o valor do benefício para trabalhadores jovens. Agora, haverá uma quarta regra para o INSS, com o pedágio de 100% do tempo mínimo para quem está a mais de dois anos da aposentadoria.

No texto apresentado hoje na comissão especial da Câmara, Moreira manteve as idades mínimas de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres propostas pelo governo. O relator, no entanto, diminuiu o tempo mínimo de contribuição de 20 para 15 anos para mulheres e reduziu a idade mínima de aposentadoria para professoras de 60 para 57 anos.

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
A responsabilidade pelo comentário é totalmente do respectivo autor. Comentários com 15 votos negativos a mais que positivos serão removidos automaticamente. Achou um comentário ofensivo? Clique em "denunciar".

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.