Protestos contra o aumento dos combustíveis acontecem em Uberaba; um posto recusou atendimento e a PM foi acionada

Um novo ato está marcado para acontecer no final da tarde desta segunda-feira.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Manifestante levou a bandeira brasileira para o protesto.
Foto: Divulgação (Direita Minas)

Os preços dos combustíveis estão deixando os consumidores indignados. A série de aumentos registrada desde o último ano fez com que o preço da gasolina chegasse até R$ 4,80 em alguns postos de abastecimento. Em Uberaba vários integrantes do grupo “Direita Minas” foram até os estabelecimentos e fizeram um protesto pacífico.

Com moedas em mãos, eles promoveram um abastecimento simbólico. Eles compraram menos de 1 real de gasolina e em seguida solicitaram a confecção da nota fiscal. O ato foi realizado no último sábado e ontem, domingo (07/01).

- Continua depois da publicidade -

A maioria dos postos procedeu dentro da legalidade e gerou o cupom fiscal, porém um estabelecimento localizado na Avenida Leopoldino de Oliveira se recusou a atender os clientes. Eles não quiseram emitir a nota e ainda recusaram atendimento. De acordo com um manifestante, os funcionários da loja de conveniência não quiseram comercializar nem uma garrafa de água mineral. “Nos chamaram de saqueadores” declarou ele.

A Polícia Militar atendeu a solicitação dos manifestantes e registrou um B.O.
Foto: Divulgação (Direita Minas)

A Polícia Militar foi acionada e registrou boletim de ocorrência. O caso agora será repassado ao Ministério Público, haja vista que é um direito do consumidor a emissão da nota fiscal.

Um novo ato foi marcado para as 18h desta segunda-feira (08/01). A concentração será na Praça da Concha Acústica e em seguida os manifestantes se dirigirão para os postos.

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -