Polícia Federal investiga suspeito de fraudar Auxílio Emergencial em Patos de Minas

O homem é suspeito de fraudar, em um único dia, R$ 8,4 mil. Um mandado de busca e apreensão foi cumprido pelos policiais federais.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

A Polícia Federal deflagrou, nesta quinta-feira (17), a Operação Sexta Parcela, em continuidade ao combate às fraudes aos Benefícios Emergenciais, os quais beneficiam parte da população com dificuldades financeiras em razão da pandemia.

Os trabalhos realizados são resultantes de uma união de esforços denominada Estratégia Integrada de Atuação contra as Fraudes ao Auxílio Emergencial (EIAFAE), da qual participam a Polícia Federal, Ministério Público Federal, Ministério da Cidadania, CAIXA, Receita Federal, Controladoria-Geral da União e Tribunal de Contas da União. Os objetivos da atuação interinstitucional conjunta são a identificação de fraudes massivas e a desarticulação de organizações criminosas, com a responsabilização de seus integrantes, além de recuperar os valores para o erário.

A Polícia Federal já realizou a deflagração de 98 Operações Policiais visando ao combate às fraudes aos Benefícios Emergenciais, com a expedição de mais de 380 mandados de busca e de 50 mandados de prisão.

Em Minas Gerais, foi cumprido um mandado de busca e apreensão em Patos de Minas, na residência de suspeito de ter sido beneficiado por diversas fraudes ao Auxílio Emergencial, contabilizando o montante fraudado em 8.400 reais em um único dia.

Nesta data, estão sendo cumpridos 35 mandados de busca e apreensão, dois mandados de prisão temporária, um mandado de prisão preventiva e 12 mandados de sequestro de bens, perfazendo um total de aproximadamente R$ 410 mil bloqueados por determinação judicial. As ações ocorrem nos Estados da Bahia, Maranhão, Minas Gerais, Paraná, Rondônia, Roraima e São Paulo, com a participação de aproximadamente 140 Policiais Federais.

Destaca-se que, em razão da atual crise de saúde pública, foi adotada logística especial de preservação do contágio, com distribuição de EPIs a todos os envolvidos, a fim de preservar a saúde dos policiais, testemunhas e investigados.

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.