Papa lamenta "violência desumana" no Afeganistão e condena últimos atentados

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Papa Francisco em Villavicencio

Papa Francisco lembrou o atentado em Cabul durante a habitual oração na Praça de São PedroAlessandro Di Meo/EPA/Lusa

O papa Francisco lamentou hoje (28) a “violência desumana” registrada no Afeganistão, uma referência aos últimos atentados ocorridos no país, como o de ontem (27), que deixou 95 mortos no centro da capital afegã. As informações são da Agência EFE.

Francisco citou a “dolorosa notícia do terrível atentado terrorista cometido em Cabul, com quase cem mortos e muitos feridos”, durante a habitual oração dominical na Praça de São Pedro.

“Há poucos dias, outro grave atentado, também em Cabul, tinha semeado o terror e a morte em um grande hotel. Até quando o povo afegão terá de suportar essa violência desumana?”, questionou.

“Rezemos em silêncio por todas as vítimas e por suas famílias. E por aqueles que, naquele país, seguem trabalhando para construir a paz”, pediu o papa aos milhares de fiéis no Vaticano.

Ontem, um suicida explodiu uma “ambulância-bomba” em frente à antiga sede do Ministério do Interior do Afeganistão, no centro de Cabul, uma região bastante movimentada da cidade.

De acordo com o último balanço divulgado pelo governo do país, 95 pessoas morreram e 191 ficaram feridas no ataque.

Uma semana antes, terroristas invadiram o Hotel Intercontinental de Cabul e mataram 20 pessoas, 14 delas estrangeiras.

FONTE: Agência Brasil

🔔 ATIVAR NOTIFICAÇÕES

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

Os comentários não representam a opinião do Patos Notícias. A responsabilidade pelos comentários é dos respectivos autores.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.