Homem confessa ter matado morador de rua em Araxá; ele alegou que a vítima teria estuprado uma adolescente

O homem disse que sua filha também foi vítima de estupro. Ao tomar conhecimento do suposto crime cometido pela vítima, ele perdeu a cabeça. Essa versão será apurada pela PCMG.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Foto: Willian Tardelli (ASCOM/Polícia Civil – MG)

A população de Araxá está em choque depois que um morador de rua foi encontrado morto no último domingo (21/01). Clique aqui e acesse a matéria a respeito do homicídio. 

A Polícia Civil iniciou as investigações logo após tomar conhecimento do crime. Nesta segunda-feira (22), um suspeito foi conduzido para a delegacia, onde prestou depoimento. Após diálogo com o delegado, Dr. Vinicius Ramalho, que contou com o apoio do Dr. Vítor Hugo Heisler, delegado regional, o suspeito acabou confessando o crime.

- Continua depois da publicidade -

Reginaldo Oliveira da Silva de 33 anos disse aos policiais que matou o morador de rua pois o mesmo teria contado que havia estuprado uma adolescente. De acordo com a versão, o autor ficou transtornado, se apoderou de uma faca e desferiu vários golpes.

Foto: Willian Tardelli (ASCOM/Polícia Civil – MG)

O suspeito ainda disse que sua filha morreu após ser vítima de um crime de estupro e que isso acabou mexendo com seu emocional. No depoimento, ele deixou claro que lembrou da filha no momento que esfaqueava a vítima.

Essa versão será confrontada em investigação pela Polícia Civil de Araxá. No período da tarde, os investigadores e delegados foram até o matagal, local onde o corpo foi encontrado, e fizeram a reconstituição.

Diante da confissão, Reginaldo segue preso e permanecerá a disposição da justiça.

VÍDEO: Polícia faz reconstituição do crime

Triângulo Notícias – Com informações da PCMG

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -