Avó de Michelle Bolsonaro fica em corredor de hospital e diz “ela [se] afastou de mim”

A avó da primeira-dama fraturou o fêmur. Ela mora em uma favela de Brasília.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Avó de Michelle Bolsonaro fica em corredor de hospital e diz ela [se] afastou de mim
Maria Aparecida, em 2018, e a neta Michelle Bolsonaro
Foto: Montagem – Reprodução (TV Brasília) e Marcelo Camargo/Agência Brasil

Enquanto a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, vive com conforto no Palácio da Alvorada em Brasília, sua avó sobrevive em uma favela em Ceilândia, cidade satélite da capital. O Jornal Folha de São Paulo revelou que Maria Aparecida de 78 anos ficou três dias aguardando por atendimento médico.

A aposentada ficou deitada em uma maca no corredor de um hospital público. Em entrevista a um jornalista da Folha, ela revelou que uma de suas galinhas passou para a casa da vizinha.

- Continua depois da publicidade -

Fui pedir à mulher para pegar a galinha. O pitbull avançou no portão. Se ele pega meu rosto, tinha acabado comigo. Aí, naquele susto, caí de costas. Caí, quebrei meu fêmur e estou no corredor de espera.

Maria Aparecida foi transferida ontem, sábado (10/08), para o Hospital Base. A transferência, no entanto, só aconteceu por causa da repercussão na mídia nacional.

“Não tenho roupa para ir lá […]”

Ainda em entrevista a Folha de São Paulo, a avó de Michelle Bolsonaro revelou que não vê a neta há cinco anos.

Sou vó dela, [mas] ela ainda não sabe [do acidente]. Tenho o telefone dela não. Que não falo [com Michelle], tem já cinco anos. O dia que o pai dos meus filhos morreu, ela que pagou o enterro, ficou com a gente lá. Foi o último dia que eu vi.

Ela [se] afastou de mim. Não quis nada mais comigo. Era meu prazer se ela viesse, [mas] ela não vem não.

Em abril a Revista Veja revelou que Maria Aparecida não foi convidada para a cerimônia de posse de Jair Bolsonaro. Ainda segundo a publicação, nem a mãe da primeira-dama foi a solenidade:

A avó de Michelle também conversou com jornalistas de Veja e declarou:

Aprendi que só vamos a pessoas importantes quando somos convidados. É minha neta, cresceu lá em casa, mas agora ela é a primeira-dama.

Além disso, se eu chegar assim (diz apontando para as próprias roupas), posso ser destratada, e isso vai me magoar. Eu não tenho roupa, sapato, nada disso, para frequentar esses lugares.

- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -