Avião cai e mata três pessoas em Belo Horizonte

Aeronave de pequeno porte atingiu veículos no Bairro Caiçara.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Foto: Divulgação (Rede Social/Internet)

Um avião monomotor caiu em um bairro residencial de Belo Horizonte (MG), na manhã de hoje (21). Segundo o Corpo de Bombeiros, três pessoas morreram na queda da aeronave, que tinha acabado de decolar do Aeroporto Carlos Prates. Outras três pessoas ficaram feridas em virtude do acidente.

O Cirrus SR20 prefixo PR-ETJ – fabricado em 2007 – foi adquirido em julho deste ano por Srrael Campras dos Santos. Até então, a aeronave pertencia à empresa Helicon Táxi Ltda Aéreo, sediada em Colombo, no Paraná, cujos representantes informaram à Agência Brasil que o monomotor estava em condições regulares de uso. A reportagem ainda não conseguiu contato com Campras. O avião estava em situação de aeronavegabilidade normal.

- Continua depois da publicidade -
Foto: Reprodução (Rede Social/Internet)

O aparelho caiu em uma área residencial do bairro Caiçara, na região Noroeste da capital mineira, perto das 9 horas. Os mortos, segundo o Corpo de Bombeiros, são um ocupante do avião; uma pessoa que estava dentro de um dos três veículos atingidos em solo pela aeronave e, possivelmente, um pedestre que passava pelo local no momento do acidente.

Os nomes dos mortos e dos feridos não foram divulgados.

Vítimas são socorridas

Equipes da Polícia Militar (PM), da Guarda Municipal, do Serviço de Atendimento Móvel (Samu) e do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) estão no local socorrendo as vítimas e colhendo os primeiros indícios para apurar as causas do acidente.

Este é o segundo acidente do tipo registrado este ano no bairro Caiçara. Em abril, um monomotor modelo Socata ST-10 Diplomate caiu sobre a rua Minerva, matando o piloto, o médico Francisco Fabiano Gontijo, 47 anos, e um instrutor de voo.

Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou, na época, a aeronave estava voando com a Inspeção Anual de Manutenção (IAM) vencida. Obrigatório, esse documento deve ser renovado anualmente.

Moradora ouviu barulho muito forte

Moradora de uma casa a poucos metros do local onde o avião caiu, no cruzamento das ruas Rosinha Sigaud com Minerva, Célia Abadia Boy contou que ouviu um barulho muito forte, semelhante a uma explosão, e correu para a janela.

“Da minha casa dá para ver o local onde o avião caiu. A primeira coisa que eu vi foi o avião e carros pegando fogo. E, então, vi pessoas correndo, gritando e uma delas estava em chamas”, narrou Célia.

“Fiquei muito nervosa. Chorei muito. Até porque, nós que moramos na rota dos aviões do aeroporto, vivemos com medo, com um pressentimento de que um avião está sempre para cair sobre nossas cabeças, sobre nossas casas”, acrescentou Célia, que há 30 anos mora no bairro e já presenciou outros acidentes.

“Estes dois últimos [o primeiro foi em abril] foram mais graves e tiveram mais destaque, mas já houve outros antes. Para mim, está havendo uma negligência das autoridades em relação aos riscos que estamos correndo” finalizou.

- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -