Após ser criticado, prefeito de Patos de Minas acusa FHEMIG e diz que vai até as últimas consequências para melhorar a saúde

O político se pronunciou no final da manhã do último domingo. Ele enviou uma mensagem através do WhatsApp em vários grupos da cidade.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
A imagem enviada pelo prefeito mostra o Pronto Socorro vazio.
Foto: Reprodução

O prefeito de Patos de Minas, José Eustáquio, foi alvo de várias críticas na última semana. A população está revoltada com o atendimento precário da UPA (Unidade de Pronto Atendimento). Os pacientes reclamam da demora e da falta de médicos.

No final da manhã, o chefe do executivo enviou uma mensagem através do WhatsApp. Nela ele acusa o Hospital Regional Antônio Dias de recusar atendimento. Junto ao texto, foi anexada uma imagem que mostra o Pronto Socorro vazio. Segundo ele, o fato foi registrado às 11:20.

- Continua depois da publicidade -

Confira abaixo a íntegra da nota:

O Hospital Regional Antonio Dias, da Fundação Hospital do Estado de Minas, vem, nos últimos dias se negando a receber pacientes no Pronto Socorro, sobrecarregando a UPA e prejudicando a população, conforme pode ser constatado pelas fotos feitas hoje, as 11:20.

Na condição de Prefeito não posso admitir que a população seja prejudicada desta maneira. Vou até as últimas consequências para que isto não mais venha ocorrer e que o Pronto Socorro do Regional volte a atender a população.

O Triângulo Notícias entrou em contato com a Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) e aguarda esclarecimentos a respeito da acusação.

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -