Vítimas pagam R$ 300 mil em "diamante" de R$ 50 milhões e perdem tudo

Estelionatários venderam falso "diamante rosa" em Patos de Minas. Dois suspeitos já foram presos, mas dinheiro ainda não foi recuperado.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Diamante rosa
Foto: Ilustrativa (Arek Socha por Pixabay)

A Polícia Militar encaminhou dois suspeitos de estelionato para a delegacia de Polícia Civil. Eles teriam vendido uma pedra preciosa falsa por R$ 300 mil. A ação criminosa aconteceu na terça-feira (21/06) na região de Leal, no município de Patos de Minas. Os compradores teriam suspeitado do golpe logo após efetuarem o pagamento do suposto “diamante rosa” para os indivíduos.

De acordo com o boletim de ocorrência, as vítimas contaram que compraram uma pedra preciosa e que, após efetuarem o pagamento, os vendedores fugiram do local, deixando apenas o intermediador.

As vítimas disseram que um homem de 44 anos fez contato com eles oferecendo a pedra supostamente avaliada em R$ 50 milhões, mas que estava sendo negociada por apenas R$ 300 mil. Diante da proposta, os compradores marcaram para se encontrarem no sábado (18/06) para avaliar o produto. Após o primeiro encontro, as partes decidiram que se reuniriam na terça (21/06) para concretizar o negócio.

Os compradores foram ao local marcado, que fica às margens da BR-365, na comunidade rural de Leal. A suposta pedra preciosa, que estava embalada, foi rapidamente entregue. Os dois vendedores pegaram os R$ 300 mil entraram num cafezal e desapareceram. Suspeitando que a pedra poderia ser falsa, os compradores realizaram o teste e constatou que se tratava de um cristal, sem valor significante no mercado.

As vítimas contestaram o intermediador que então se prontificou em ir atrás da dupla. Algum tempo depois, o intermediador voltou e disse para as vítimas que também tinha sido vítima do golpe.

A Polícia Militar foi ao local e questionou o intermediador, que entrou em contradição. Ele confessou que, junto aos dois comparsas, planejaram um golpe e que a pedra vendida era um cristal. Ele disse que teria combinado de encontrar com os comparsas numa chácara em Lagoa Formosa. Os militares foram até a  chácara, mas não havia ninguém e o local era apenas um lote cercado por muros.

Durante as buscas nas imediações, outra equipe da PM visualizou um suspeito do crime tentando fugir numa bicicleta. Ele foi seguido, alcançado e preso. Perguntado sobre a ação criminosa, ele falou que não sabia de nada e que não tinha participado do golpe. Os policiais chegaram a ir na casa dele em Lagoa Formosa, porém nada foi encontrado.

Diante da confissão do intermediado, os dois suspeitos foram presos. O terceiro integrante da quadrilha ainda não foi preso. O dinheiro ainda não foi recuperado.

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

1 Comentário
O mais novo
Mais antigo mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Sem essa...
24/06/2022 11:30

Tadinho do comprador , acreditou nestes caras de bicicleta🤪

A responsabilidade pelos comentários é dos respectivos autores. Eles não representam a opinião do Patos Notícias. Comentários com 15 votos negativos a mais que positivos são removidos.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAR ERRO

Usamos cookies para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências.  Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.