Vídeo: Patos de Minas registra aumento de 35% no número de queimadas

Percentual é resultado da comparação com o mesmo período do ano passado (2019).
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Só em 2020 ocorreram mais de 12 mil ocorrências de Incêndio Florestal em todo o Estado de Minas Gerais, um acréscimo aproximado de 23%, considerando o mesmo período do ano passado. Durante os 12 meses de 2019, foram 18 mil ocorrências.

Na região do Alto Paranaíba e Noroeste de Minas, até o mês de agosto, houve um aumento de cerca de 17%.

- Continua depois da publicidade -
  • 2019 (até agosto): 343 registros;
  • 2020 (até agosto: 403 registros.

Já em Patos de Minas, também no mesmo período, ou seja, de janeiro a agosto de 2020, houve também um elevado índice de ocorrências de Incêndio Florestal, sendo 35% a mais que no mesmo período do ano passado.

  • 2019: 192 registros;
  • 2020: 259 registros.

E especificamente, em todo o mês de setembro de 2019, os Bombeiros registraram 57 atendimentos de Incêndio Florestal no município de Patos de Minas, e até ontem (20/09/2020), 80 registros, 40% a mais.

Diante do exposto, Bombeiros de Patos de Minas alertam proprietários rurais sobre a importância da prevenção para evitar incêndios e prejuízos neste final de período de estiagem.

Este é o período mais crítico, onde qualquer foco de incêndio pode se alastrar de forma muito rápida nas áreas rurais devido ao mato seco, ao ar seco, aos ventos fortes e principalmente ao calor, resultando em grandes estragos, danos ambientais e prejuízos ao meio ambiente e aos proprietários rurais.

Por isso, é importante que os proprietários tomem atitudes simples, mas muito úteis, que poderão tanto evitar o início dos incêndios quanto dificultar a propagação destes, propiciando condições para o efetivo combate às chamas.

Dicas dos Bombeiros para os proprietários rurais e moradores da área rural:

1 – Como evitar que incêndios iniciem em suas propriedades:

-não queimar lixo na área rural;
-não realizar limpeza de áreas utilizando fogo;
-não soltar fogos de artifício;
-não fazer fogueiras durante acampamentos;
-cuidar para que os fios das linhas de transmissão da rede elétrica estejam afastados entre si e também afastados de galhos de árvores para evitar curto circuito. (caso haja algum problema na linha de transmissão, não mexa; avise a concessionária de energia elétrica para demais providências).

Nem todos os incêndios são intencionais, muitos que causaram grandes tragédias começaram através de queima de lixo após a limpeza do quintal em torno da residência rural, ou uso do fogo para a para limpeza de áreas rurais que acabou fugindo do controle ou também através de curto circuito nas linhas de transmissão que, com os ventos, acabam atingindo galhos ou os próprios fios acabam encostando um no outro por falta de um espaçador.

As fagulhas do fogo ou do curto circuito acabam alcançando áreas de capim seco e o fogo propaga-se rapidamente, tornando-se um incêndio, muitas vezes, de grandes proporções.

2 –  Como evitar ou dificultar a propagação de incêndios vindos da faixa de domínio da rodovia ou de outras propriedades para a sua propriedade:

-construção de aceiros juntos às cercas de divisas com as faixas de domínio e também junto às cercas de divisas das propriedades;
-construção de aceiros junto às reservas, lavouras de grãos e às plantações de eucalipto, cana, café, etc;
-promover a limpeza dos quintais, pomares e das áreas em torno das residências, galpões, garagens, currais, etc, removendo o capim e mato que porventura tenham crescido no local e que são os grandes responsáveis por propagar o incêndio até estes locais.

A grande dificuldade enfrentada pelos bombeiros e brigadistas durante o combate a incêndios na área rural é justamente a falta destas iniciativas. O capim alto e seco, é o principal responsável pela propagação dos incêndios em vegetação, então a construção do aceiro e a limpeza das áreas em volta de residências, galpões, lavouras etc, dificulta a propagação dos incêndios e protegem o patrimônio além de servir de ponto estratégico para os trabalhos de combate as chamas (sem estas iniciativas o combate fica muito prejudicado e os danos se multiplicam).

3 – Como se preparar para o caso de os incêndios atingirem a propriedade:

-deixar equipamentos agrícolas e rurais como tratores com grade, caminhões ou caminhonetes que transportam água, bombas costais, enxadas, entre outros equipamentos disponíveis em locais seguros e protegidos, porém de fácil acesso e em condições de uso;
-deixar o pessoal, como funcionários ou moradores do local, preparados para um possível incêndio. Os adultos saudáveis e que tenham algum conhecimento para operar os equipamentos agrícolas e ou combater um princípio de incêndio podem atuar, desde que não atuem sozinhos sendo necessário pelo menos dois trabalhando juntos e não se exponham a riscos desnecessários (A SEGURANÇA DAS PESSOAS VEM EM PRIMEIRO LUGAR);
-crianças, idosos e pessoas que não tenham condições físicas ou técnicas não devem de maneira nenhuma realizar combate a incêndio em vegetação dado o grande risco e o enorme desgaste físico que o trabalho impõe, podendo tornarem vítimas de ferimentos ou de morte.

- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -