Operação “Direto com o Dono”

Varejista é suspeita de cobrar impostos dos consumidores mas não repassar à Receita

Também é investigado o crime de lavagem de dinheiro, já que o patrimônio individual do principal sócio cresceu na época da sonegação.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Fiscais da receita verificam documento em centro administrativo da varejista
Foto: Divulgação (Ministério Público de Minas Gerais)

Uma operação, denominada “Direto com o Dono”, combate a sonegação fiscal e a lavagem de dinheiro em Minas Gerais. A força-tarefa composta pelo Ministério Público, pela Receita Estadual e pela Polícia Civil cumpre mandados nesta quarta-feira (08/07).

A investigação apura um esquema de sonegação fiscal e lavagem de dinheiro envolvendo uma rede varejista. O fundador e ex-principal acionista, foi preso em São Paulo e será transferido para Belo Horizonte. A filha dele também foi presa. O irmão também é alvo de um mandado de busca e apreensão.

Os policiais também cumprem um mandado de prisão contra o diretor superintendente da varejista.

Segundo o Ministério Público, a varejista cobrava impostos dos consumidores, embutido nos produtos, mas não repassava para a Receita. A sonegação seria de aproximadamente R$ 400 milhões. A suspeita de lavagem de dinheiro se deu pelo fato do patrimônio individual do principal sócio ter crescido na mesma época da sonegação.

A justiça já determinou o sequestro de bens imóveis do dono do negócio, avaliados em cerca de R$ 60 milhões, com a finalidade de ressarcir o dano causado ao Estado de Minas Gerais.

O Ministério Público ainda informou que a empresa encontra-se em situação de recuperação extrajudicial, sem condições de arcar com suas dívidas, já tendo fechado diversas unidades e demitido dezenas de trabalhadores. Em contrapartida, o principal dono do negócio possui dezenas de imóveis, participações em shoppings na região metropolitana de Belo Horizonte e fazendas. Os bens imóveis não se encontram registrados em nome do investigado, mas de suas filhas, mãe e até de um irmão, que também são alvos da operação.

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS