Vacinação contra Febre Amarela continua em Patos de Minas

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Até o momento, não existem registros de casos na cidade.

A Febre Amarela já causou várias mortes no estado de Minas Gerais.
Foto: Reprodução
O Ministério da Saúde atualizou as informações repassadas pelas secretarias estaduais de saúde sobre a situação da febre amarela no país. Até a semana passada, foram confirmados 492 casos da doença. Ao todo, foram notificados 2.104 casos suspeitos, sendo que 1.101 permanecem em investigação e 511 foram descartados. Dos 277 óbitos notificados, 162 foram confirmados, 95 ainda são investigados e 20 foram descartados. Vale destacar que o mês de janeiro registrou o maior número de casos da doença.
Em Patos de Minas, não há nenhuma notificação da doença. Segundo Erivaldo Rodrigues, diretor de epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde, a vacinação é uma rotina nos postos de saúde do município, mas a equipe intensificou a imunização devido os casos no estado.
A vacinação de rotina para febre amarela é ofertada em todo o estado de Minas Gerais e, nesse caso, para o Município de Patos de Minas, já que existe a recomendação para imunização devido à área ser silvestre. Todas as pessoas que vivem nesses locais devem tomar duas doses da vacina ao longo da vida. As que já foram imunizadas com as duas doses, não precisam tomar mais ser vacinadas.
O diretor de epidemiologia ressalta que as crianças devem tomar a vacina aos 9 meses e 4 anos de idade. No caso das pessoas adultas, a aplicação depende da idade. Já os idosos precisam passar por uma avaliação para a aplicação da defesa contra a Febre Amarela. “As pessoas devem se vacinar com pelo menos 15 dias antes de viajar para locais onde já existem notificações ou locais com recomendação das doenças”, explicou Erivaldo.
O Aedes aegypti também é o transmissor da Febre Amarela, Dengue, Chikungunya e Zika vírus. A Prefeitura conta com o apoio da população no combate ao mosquito e reforça que é importante receber os agentes de saúde durante as visitas periódicas. É preciso ainda que a população combata a proliferação de criadouros do mosquito em suas residências, evitando o acúmulo de água parada.
Patos de Minas
28/03/2017

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS