UFV-Rio Paranaíba celebra 15 anos com inaugurações, lançamento de livro e homenagens

O Centro Integrado de Pesquisas foi uma das obras inauguradas.

Compartilhe

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
O Centro Integrado de Pesquisas foi uma das obras inauguradas. (Foto: UFV/Divulgação)

Os 15 anos da UFV-Rio Paranaíba foram celebrados, na tarde desta segunda-feira (26), em uma cerimônia híbrida, acompanhada presencialmente por poucos convidados, mas virtualmente por muitos, através do canal oficial da Universidade no YouTube. Para todos eles, a década e meia de existência do campus foi contada de forma resumida no vídeo produzido pela equipe da Diretoria de Comunicação Institucional. O convite ao aprofundamento desta trajetória veio com o livro 15 anos da UFV-Campus Rio Paranaíba – Uma história de sucesso, lançado durante a cerimônia.

O livro é resultado de pesquisa realizada pelo historiador Jeremias Brasileiro e pela administradora de empresas Lara Luíza Silva, graduada e pós-graduada pela UFV-Rio Paranaíba. Segundo os autores, ele traz o registro de diversos olhares institucionais e políticos que contribuíram para a fundação do campus. Citando uma fala recorrente do reitor Demetrius David da Silva, Lara Luíza lembrou que o campus foi “abraçado pela comunidade local”.

A cerimônia de celebração aconteceu no Pavilhão de Aulas, que, segundo o diretor-geral da UFV-Rio Paranaíba, Renato Adriane Alves Ruas, está no centro do campus, onde, em tempos normais, a maioria dos estudantes se concentra. Renato Ruas mencionou a alegria em receber os convidados naquele local, onde há mais de um ano não aconteciam atividades. “É uma demonstração de que, aos poucos, a rotina começa a voltar”.

Com o reconhecimento de que uma história se constrói de forma coletiva, o diretor-geral lembrou nomes do passado e do presente e agradeceu a cada convidado, de perto e de longe, que ajudou ou vem ajudando a consolidar a trajetória de sucesso do campus. Ele comentou sobre ações da UFV-Rio Paranaíba em diversas frentes, como as de enfrentamento à pandemia de covid-19, e sobre as novidades que os estudantes encontrarão quando retornarem às suas atividades presenciais. Dentre elas, as três novas obras inauguradas nesta segunda-feira, que, conforme o professor Renato, “irão permitir um aumento considerável da qualidade das atividades de ensino, pesquisa, inovação e extensão”.

A mais importante delas e de maior impacto, na avaliação do diretor-geral do campus, é o Centro Integrado de Pesquisas (CIP). Com 19 laboratórios e 18 gabinetes de professores, o Centro representará, na avaliação do diretor de Pesquisa e Pós-Graduação da UFV-Rio Paranaíba, Everaldo Antônio Lopes, um ponto de virada na produção científica do campus, que já se destaca nacional e internacionalmente. Esta inauguração estava sendo aguardada há muito tempo, já que as obras, iniciadas em 2009, ficaram paralisadas durante alguns anos. A finalização delas envolveu R$ 3,3 milhões aportados pela Finep e R$ 1,6 milhão aportado pela UFV, com recursos próprios.

Segundo o professor Everaldo, o prédio é moderno e foi projetado para atender às demandas dos três institutos do campus: de Agrárias, de Biológicas e Saúde e de Exatas e Tecnológicas. “Não tenho dúvida de que a integração de diferentes áreas em um mesmo ambiente gerará muita ciência de qualidade e inovações. Será um grande ganho para todos nós”.

Também nesta segunda, foi inaugurado o Viveiro de Mudas, desenvolvido em conjunto com as empresas juniores dos cursos de Agronomia e de Engenharia Civil. Dentre outros objetivos, o Viveiro contribuirá sobremaneira com o projeto de extensão Rio Paranaíba Mais Verde (coordenado pelo professor Alberto Carvalho Filho), que tem viabilizado a implementação de praças e áreas de lazer na cidade. Além de espaços aclimatados e de um sistema de irrigação automatizado, ele dispõe de uma estrutura de trabalho que inclui escritórios, banheiros e almoxarifado.

Outra obra inaugurada foi a Usina Fotovoltaica, composta por 392 painéis, em uma área de cerca de 1.200 metros quadrados. A usina integra o Programa de Eficiência Energética implantado pela atual administração da Universidade. A expectativa é a de que 100% da energia consumida no campus Rio Paranaíba seja gerada na própria instituição. “Aqui teremos sustentabilidade total. Além da questão econômica, haverá um ganho ambiental bastante importante para todos nós”, lembrou o reitor.

Convidado

Entre os convidados do aniversário estava Eduardo Gomes Salgado, diretor de Desenvolvimento da Rede de Instituições Federais de Educação Superior. Representando o secretário de Educação Superior, Wagner Vilas Boas de Souza, ele comentou sobre sua alegria em participar da cerimônia de celebração dos 15 anos do campus, motivo de sua primeira viagem oficial pelo Ministério da Educação desde o início da pandemia. “Foi bonito ver como uma universidade contribui para uma região e quanto uma região contribui para uma universidade em termos de crescimento. A UFV está de parabéns e toda a região de Rio Paranaíba também”.

Agradecido por Eduardo Salgado ter aceitado o convite de participar da cerimônia, o reitor lembrou ao representante da Secretaria de Educação Superior (Sesu) que as obras inauguradas no campus Rio Paranaíba tiveram a participação direta do órgão. Nos últimos dois anos, a Secretaria liberou recursos importantes para que a Universidade investisse na finalização de obras, acessibilidade e eficiência energética.

A exemplo do professor Renato Ruas, o reitor também citou alguns nomes que ajudaram a contar a história do campus Rio Paranaíba, que, em sua avaliação, é “uma jovem criança de apenas 15 anos que já entrega frutos tão interessantes para a comunidade”. Entre esses nomes, lembrou o ex-prefeito de Rio Paranaíba, Jaime Silva, que morreu em 2014, e é unanimemente reconhecido como um grande incentivador da criação do campus da UFV na cidade. Em agradecimento a este empenho, foi entregue uma placa às filhas do ex-prefeito, Abadia Cristina da Silva e Ana Claudia Resende Silva. Pelo mesmo motivo, também foi homenageado o engenheiro agrônomo Nilton Alves de Oliveira, dirigente do Incra.

Na cerimônia desta tarde, a vice-reitora Rejane Nascentes, ex-diretora geral do campus, não pôde comparecer. Mas em uma mensagem lida pelo cerimonialista, ela destacou que se sente imensamente honrada por ter sido professora, coordenadora de curso, chefe de instituto, diretora de Ensino e diretora-geral do campus mais novo da UFV. Comentou sobre o orgulho que tem em testemunhar o quanto o campus se desenvolveu e a contribuição que ele dá ao desenvolvimento de toda a região do Alto Paranaíba e entorno. “O campus cresce em tamanho físico e também na relevância do trabalho desenvolvido no ensino, pesquisa e extensão. São 15 anos de muito avanço e muitas conquistas, fruto do trabalho inestimável de tantos colaboradores”. A vice-reitora deixou registrado os votos de que os próximos 15 anos sigam esta mesma direção de sucesso.

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
A responsabilidade pelo comentário é totalmente do respectivo autor. Comentários com 15 votos negativos a mais que positivos serão removidos automaticamente. Achou um comentário ofensivo? Clique em "denunciar".

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.