UFU quer impedir entrada do coronavírus nas células; entenda

Pesquisadores buscam propriedades antivirais presentes na saliva para prevenir que pessoas sejam infectadas.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Pesquisadores da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), em Minas Gerais, procuram moléculas que impeçam a entrada do coronavírus nas células. A ideia é encontrar propriedades na saliva que bloqueiem o agente causador da COVID-19, diminuindo a transmissibilidade do vírus. O projeto foi selecionado no Programa de Combate a Epidemias da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Robinson Sabino [docente do Instituto de Ciências Biomédicas (ICBim/UFU)], coordenador do projeto, afirma que a pesquisa foi idealizada ao observar as outras linhas adotadas ao redor do mundo, em várias frentes, para o combate à pandemia. “Vimos que havia trabalhos da ciência em busca de vacinas, novos fármacos e melhoras no diagnóstico. O que achamos que estava faltando? Moléculas que pudessem prevenir as pessoas de pegar a doença”, afirma.

A linha de trabalho, explica Sabino, envolve a coleta de saliva. O estudo está em fase de testes, com a seleção e síntese de proteínas com capacidade antiviral e baixa citotoxicidade (uma das características do vírus corona, afinal, é a denominada “tempestade de citocinas”). O objetivo é impedir que o vírus atue, ou seja, o público-alvo é composto por pessoas ainda não infectadas.

O pesquisador cita a situação do profissional que coleta a secreção nasal, para testes PCR, para ilustrar a importância do estudo. “Mesmo com máscara e proteção, esse trabalhador está exposto. Nossa ideia é formar uma espécie de barreira biológica contra o vírus, uma última camada depois das barreiras físicas”, conclui.

Programa Combate a Epidemias

É um conjunto de ações de apoio a projetos, pesquisas e formação de pessoal de alto nível para enfrentar a pandemia da COVID-19 e temas relacionados a endemias e epidemias, no âmbito dos programas de pós-graduação de mestrado e doutorado do País. O Programa está estruturado em duas dimensões: Ações Estratégicas Emergenciais Imediatas e Ações Estratégicas Emergenciais Induzidas em Áreas Específicas.

Em três editais, 109 projetos de pesquisa e formação de recursos humanos foram selecionados, com o envolvimento de mais de 1.300 pesquisadores de universidades brasileiras e estrangeiras. Os projetos vão estudar temas relacionados a Epidemias, Fármacos e Imunologia e Telemedicina e Análise de dados Médicos.

Confira no Programa de Combate a Epidemias os detalhes dos três editais:

– CAPES – Epidemias – Edital nº 09/2020

– CAPES – Fármacos e Imunologia – Edital nº 11/2020

– CAPES – Telemedicina e Análise de Dados Médicos – Edital nº 12/2020

Confira o resultado final do Edital nº 09/2020

Confira o resultado final do Edital nº 11/2020

Confira o resultado final do Edital nº 12/2020

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
ATENÇÃO: Dê preferência em utilizar sua conta do Facebook ou Google para comentar. Comentários com cinco descutidas serão submetidos a moderação. Para denunciar um comentário, clique na bandeira vermelha.
Os comentários não refletem a opinião do portal. A responsabilidade dos comentários é integralmente de seus autores. O Patos Notícias se reserva ao direito de remover postagens que violem seus termos de uso ou as leis vigentes sem prévia notificação.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.