Troncos de gameleira continuam queimando na praça da “Biquinha do Caramuru” em Patos de Minas

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Sinais de fumaça e brasa demonstram que troncos e restos de madeira da gameleira que tombou no início do ano e foi alvo de incêndio no final da semana passada, continuam queimando desde domingo na área ambiental da praça da nascente urbana na parte alta da cidade, local conhecido como praça da “Biquinha do Caramuru”. O conselheiro ambiental Civuca Costa registrou na manhã desta quinta-feira, 27 de agosto, uma série de fotos que mostram os focos de fogo no material lenhoso e o resultado da incêndio no mato e no material lenhoso queimados no local.
A área de preservação permanente com a presença de nascente urbana na parte alta de Patos de Minas Mais uma vez foi alvo de incêndio criminoso. O fogo começou no final de semana. O local é conhecido como praça da Biquinha do Caramuru e nos últimos anos vem recebendo melhoria e proteção por parte de órgãos ambientais de Patos de Minas, como o cercamento, instalação de placas socioeducativas e de advertência, e o plantio de árvores nativas.
Mas ao contrário de ações ambientais acontecem também práticas de destruição e vandalismo como incêndios constantes e o depósito de lixo doméstico e industrial, como resíduos orgânicos, entulhos e pneus velhos. No final do mês de janeiro deste ano, após várias queimadas aconteceu a queda da grande árvore da espécie Gameleira. Como o material lenhoso não foi retirado em tempo hábil, agora os troncos e galhos foram incendiados e o fogo se alastrou em grande parte da quadra da Biquinha do Caramuru. Acompanhe a memória do fato da ocorrência de mais um crime ambiental registrado pelo conselheiro ambiental do Cima, Codema e Colmeia de Patos de Minas, Civuca Costa.
# Memória do último incêndio na praça da Biquinha do Caramuru:
1 – Segundo os vizinhos de plantão, o incêndio começou na noite entre os dias 20 e 21 de agosto. O fogo foi controlado parcialmente por Equipe do Corpo de Bombeiros, que não retornou mais ao local para o acompanhamento técnico e controle da ocorrência.
2 – Porém, havia brasas acesas no cerne dos troncos maiores e o incêndio começou novamente na tarde da última sexta-feira e continuou e maiores proporções noite e madrugada adentro, em 21 de agosto.
3 – Com a forte ventania as faíscas foram lançadas em outras partes da quadra alcançando o capim seco e queimou toda a parte alta da praça, inclusive o fogo alcançou a praça grande acima da área da Biquinha, atravessando uma via pública que separa as duas quadras públicas.
4 – Várias espécies de árvores foram atingidas pela queimada. A espécie Pau-Brasil sentiu o calor, murchou as folhas e só não foi destruída devido ao feitio de aceiro circular conhecido como coroamento que foi feito na semana anterior por ambientalista do Cima.
5 – Felizmente, um topo de morro no meio da quadra evitou que as chamas no capim seco incidissem para a parte de baixo destruindo todas as plantas da praça. Como prevenção, foram feitos também o coroamento de árvores nativas na parte inferior da quadra onde o fogo não alcançou.
6 – Membros do Cima e Codema com o apoio de servidores do Parque do Mocambo realizaram no dia 14 de agosto, o corte e supressão do material lenhoso da antiga Gameleira que caiu em janeiro deste ano, para que no local sejam plantadas novas árvores.
7 – Porém, não foi possível por falta de equipamentos pesados a supressão e retirada de todos os troncos e galhos da árvore o que possibilitou a propagação do incêndio com mais rapidez.
8 – Na primeira etapa de corte e retirada do material lenhoso do dia 14 de agosto, a ação contou também com o apoio da Secretaria Municipal de Obras que retirou as madeiras cortadas que estavam na via pública. Porém, foi coletado apenas o material lenhoso que estava fora da cerca da praça e o restante de madeiras suprimidas continuou dentro da quadra.
9 – Na madrugada da última sexta-feira e no sábado de manhã aconteceu uma precipitação (com chuva contínua porém mansa) que contribuiu para minimizar os impactos do incêndio. Porém, logo que a chuva passou no domingo, segunda e nesta terça-feira, o fogo em pequena proporção continua queimando o cerne de alguns troncos e do tronco central da Gameleira da praça da Biquinha do Caramuru.
10 – Agora, só após o controle de todo o incêndio é que a equipe de ambientalistas e servidores públicos retornarão ao local para o término da supressão do restante de madeira, para se evitar qualquer tipo de acidente. A ação de intervenção para mais uma etapa de retirada de material lenhoso está prevista para a próxima terça-feira, 1º de setembro, por parte de representantes dos conselhos ambientais de Patos de Minas.

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS