Tráfico de Drogas: Polícia Civil conclui maior investigação da história de Carmo do Paranaíba

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Investigações levaram a prisão de 15 pessoas no início do ano. Além do tráfico de drogas, criminosos mandavam celulares para dentro dos presídios.

Materiais apreendidos iriam entrar no Presídio de Carmo do Paranaíba.
Foto: Divulgação

Polícia Civil de Minas Gerais concluiu o inquérito policial da Operação Sem Maldade, a qual foi desencadeada visando coibir o tráfico de drogas e entrada de aparelhos celulares na Penitenciária Nossa Senhora do Carmo, na cidade de Carmo do Paranaíba. Após meses de investigação policial foram indiciadas 19 (dezenove ) pessoas, sendo que 13 (treze) já estão presas em decorrência deste inquérito. 

Conforme já divulgado anteriormente, familiares e terceiros articulavam-se para introduzir no complexo penitenciário diversos objetos proibidos. Muitas das vezes os referidos objetos ilícitos eram introduzidos nas partes íntimas das visitantes, as quais repassavam para os detentos, os quais, por sua vez, comercializavam dentro da penitenciária.
Os indiciados eram bem organizados, sendo alguns responsáveis por levantamento de dinheiro, outros agindo no aliciamento de pessoas para introdução do material na prisão, e alguns presos faziam o comércio das drogas e celulares.
As inúmeras páginas são resultado de um processo de investigação minucioso desenvolvido pela PC.
Foto: Divulgação
Os envolvidos foram indiciados nos crimes de tráfico e associação ao tráfico de drogas circunstanciado (pelo fato de atingir dependências de estabelecimentos prisionais e envolver emprego de arma de fogo), nos termos do art. 33, “caput” e art. 35 “caput”, c.c art. 40, III e IV, todos da Lei de Drogas, e art. 349-A do Código Penal.
As penas ao todo somam quase 800 (oitocentos) anos de prisão. É bom ressaltar o empenho e colaboração da administração prisional para com os trabalhos investigativos.
Polícia Civil
21/03/2017

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS