Temer diz que urgência para reforma trabalhista mostra comprometimento da base

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O presidente Michel Temer agradeceu à base governista no Senado pela aprovação do requerimento de urgência para votar a reforma trabalhista. Foram 46 votos favoráveis e 19 contrários à urgência. “A expressiva margem manifesta na votação, cerca de 70% dos votos dados, é mais um sinal do comprometimento da base de apoio ao governo com as medidas que estão modernizando o Brasil e nossa economia”, disse o porta-voz da presidência da República, Alexandre Parola, em pronunciamento no início da noite de hoje (4).

O plenário do Senado aprovou no início da noite de hoje (4) o requerimento de urgência. Com isso, o projeto entra na pauta de votação da próxima terça-feira (11).

- Continua depois da publicidade -

Mais cedo, os líderes partidários fecharam acordo de procedimento para que o texto da reforma seja discutido nas sessões de amanhã (5) e quinta-feira (6). Com o requerimento de urgência, o projeto ganha prioridade na pauta de votações da Casa.

O porta-voz também destacou números positivos da economia, entre os quais dados divulgados ontem (3) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) que indicam aumento das vendas das fábricas brasileiras e da utilização da capacidade instalada na indústria.

Além disso, Parola destacou a queda da inflação e da taxa de juros, assuntos destacados por Temer em seus últimos pronunciamentos. “Os resultados concretos dessas medidas levadas adiante pelo presidente Michel Temer já se fazem sentir no cotidiano das pessoas e nos números da economia brasileira”, completou o porta-voz.

Encontro com parlamentares

O presidente Michel Temer reservou a agenda hoje para receber parlamentares. São mais de 30 registrados em sua agenda oficial, na véspera da apresentação de sua defesa à denúncia feita contra ele na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. Dos deputados recebidos hoje, seis são titulares da CCJ e cinco são suplentes. A justificativa de assessores próximos ao presidente é que ele quer resolveu atender a todas as “demandas reprimidas” hoje para poder acompanhar a sua defesa na comissão amanhã (5).

Na quinta-feira, às 13h, o presidente embarca para Hamburgo, na Alemanha, onde participará da Cúpula do G20, grupo das 20 maiores economias do mundo. Seu retorno está programado para sábado, com chegada ao Brasil no domingo.

*Colaborou Mariana Jungmann

Fonte: Agência Brasil

- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -