Suposto sequestrador de Brasília é preso em Patos de Minas após confusão em casa de encontros

O indivíduo teria cometido outros crimes em Patos de Minas. Ainda há a suspeita de que ele utilize identidade falsa.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Uma confusão em uma casa de encontros no Bairro Planalto terminou em perseguição e prisão no final da noite de ontem, quinta-feira (14), em Patos de Minas. De acordo com informações repassadas ao Triângulo Notícias pela Polícia Militar, um homem teria ameaçado a vítima que trabalha no estabelecimento.

O senhor de 48 anos, acionou os militares, via telefone 190, alegando que havia sido ameaçado pelo suspeito, Flavio dos Santos Pereira, de 24 anos.

- Continua depois da publicidade -

A vítima disse que já havia trabalhado em outra casa de encontro, onde também atuava o suspeito, com o qual teve um desentendimento e que após a confusão, parou de trabalhar no local, mudando para a atual estabelecimento.

O senhor afirmou que que estava em seu local de trabalho quando chegou o suspeito armado e proferiu palavras de ameaças, tomou o celular, subtraiu o chip e quebrou o aparelho. A vítima disse que a intenção do suspeito era apagar algumas fotos do celular danificado, que o ligariam a pratica de crimes como tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo.

Enquanto conversava com os policiais militares, a vítima recebeu uma ligação em outro aparelho celular. A ligação era feita pelo suspeito, que dizia que iria acertar as contas com ele. Diante da afirmação de que o suspeito estava indo até à vítima para concretizar as ameaças, os militares ficaram ali, aguardando-o para realizarem a abordagem.

Após determinado momento, surgiu pela rua uma motocicleta conduzida pelo suspeito, que, ao notar a presença das viaturas, passou a acelerar seu veículo e evadir, mesmo recebendo ordens para parar.

Iniciou-se, então, uma perseguição por algumas ruas do bairro Planalto. Após certo percurso, o suspeito adentrou em uma rua de terra ao lado da lagoa existente no bairro e acabou por perder o equilíbrio, vindo a cair ao solo. Imediatamente os policiais militares deram ordem para que ele se postasse em posição de busca, imobilizando-o e controlando-o fisicamente. Nas buscas foi encontrado um revólver calibre .32, sem marca, modelo “long CTG”, com cinco munições intactas, uma porção de cocaína em uma embalagem plástica e R$37,00 (trinta e sete reais) em dinheiro.

A motocicleta, uma Yamaha Factor YBR 125 ED, estava com o lacre da placa de identificação rompido, havia sido ligada sem utilização de chave e, conforme consulta ao sistema informatizado foi furtada/roubada na cidade de Uberlândia no dia 12/06/2018, juntamente com o capacete da vítima, idêntico ao que o suspeito tinha na cabeça.

Na carteira de bolso do suspeito foi localizado um documento de identidade em seu nome, mas que gerou dúvidas, pelas contradições sobre sua autenticidade. Até mesmo a qualificação do suspeito carece de confirmação, tendo em vista que ele disse ter passagem por sequestro em Brasília, dentre outras, porém não foi localizado em nenhum sistema informatizado.

Pessoas ligadas às casas de encontros contactadas pelos policiais militares disseram que têm conhecimento de que o suspeito já cometeu crimes em Brasília e Uberlândia e veio “fugido” dessas cidades, sendo que em Patos de Minas já teria cometido diversos crimes contra o patrimônio.

Inclusive, pouco antes da abordagem realizada, foram cometidos dois roubos, em que autores utilizaram uma motocicleta de cor vermelha e um revólver para cometer os assaltos, estando de blusa de moletom, características semelhantes às usadas pelo autor.

A motocicleta foi removida ao pátio credenciado pelo Detran, os materiais qualificados em campo próprio foram apreendidos e o suspeitos preso e conduzido à presença da autoridade de polícia judiciária.

- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -