STF decide manter Lula preso

Ministros julgaram dois habeas corpus e decidiram que o petista continuará preso até julgamento da suspeição de Moro.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Cristiano Zanin utilizou a tribuna para pedir o julgamento do HC de Lula.
Foto: Reprodução (STF)

PLACAR – HC 2

Favoráveis 2 x 3 Contrários – NEGADO

PLACAR – HC 1

Favoráveis 1 x 4 Contrários – NEGADO

- Continua depois da publicidade -

Ponto a Ponto

HC 2 – Votos Favoráveis 2 x 3 Votos Contrários – Em Andamento

  • Gilmar Mendes vota a favor de Lula;
  • Edson Fachin mantém seu voto (de dezembro) e é contra a liberdade de Lula;
  • Ricardo Lewandowski vota a favor de Lula;
  • Celso de Mello vota contra o HC;
  • Cármen Lúcia mantém seu voto (de dezembro) e é contra o HC.

HC 1 – Votos Favoráveis 1 x 4 Votos Contrários – NEGADO

  • Edson Fachin vota contra;
  • Lewandowski vota a favor;
  • Gilmar Mendes vota contra;
  • Celso de Mello vota contra;
  • Carmen Lúcia vota contra.

Entenda

O ex-presidente Lula está preso em Curitiba após ser condenado no caso do triplex do Guarujá.

A defesa pediu que os habeas corpus fossem analisados. O julgamento foi concluído e a liberdade negada.

“O que nós pedimos, inclusive por petição protocolada ontem [segunda-feira], é que sejam dadas as prioridades regimentais, uma vez que já paciente preso há mais 400 dias, e estamos diante de um caso cujo julgamento já foi iniciado. Há preferências regimentais que deveriam, a nosso ver, ensejar a continuidade do julgamento para que sejam apreciadas as teses defensivas que foram colocadas em novembro do ano passado” – Cristiano Zanin

A defesa entrou com dois pedidos de HC:

  • HC 1 – Questionam a atuação do relator da Lava Jato no Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Felix Fischer;
  • HC 2 – Apontam a suspeição do ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, durante o processo no qual o ex-presidente foi condenado.

A sessão não foi televisionada pela Tv Justiça.

Imparcialidade de Moro

Um dos pontos a serem apreciados, após o retorno do recesso, será a imparcialidade do ex-juiz, Sérgio Moro. A defesa argumentou com base nos vazamentos do site The Intercept Brasil.

- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -