Sétimo dia da Copa vê placares magros e garra de seleções sem tradição

Compartilhe

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

No sétimo dia de Copa do Mundo, o 1 a 0 foi o placar dominante. Justamente quando se projetava goleadas de Espanha, Portugal e Uruguai, o que se viu foram seleções sem tradição mostrarem valentia e defesas bem arrumadas. Os favoritos ganharam, todos pelo placar mínimo, em jogos que, se foram escassos em gols, conseguiram agradar a quem assistiu nos estádios e nas TV’s.

Copa 2018: Espanha e Irã. Comemoração do primeiro gol da Espanha.

Gol foi artigo raro na 7ª rodada da copa. Na foto, comemoração do gol da Espanha (Jorge Silva/Reuters/Direitos reservados)

Portugal 1 x 0 Marrocos

Novamente, com um início arrasador, Cristiano Ronaldo abriu o placar contra Marrocos aos 4 minutos de jogo. Quem apostou em goleada lusitana no bolão começou a esfregar as mãos, acreditando em uma chuva de gols. Mas não foi o que aconteceu. Portugal mostrou novamente o que já se vira contra a Espanha: um time muito limitado e dependente de Cristiano Ronaldo. No restante do tempo, ele ficou discreto e o time todo desapareceu do jogo.

Já Marrocos mostrou que não merecia o que o destino lhe reservou. Foram duas derrotas, ambas por 1 a 0, em partidas nas quais jogou bem, criou chances e buscou a vitória. Os africanos colocaram os portugueses nas cordas em muitos momentos e mereceram o empate. Contra a Espanha, na última rodada, lhes resta tentar pelo menos um gol para voltar com alguma boa história para casa.

Espanha 1 x 0 Irã

Contra Marrocos, na primeira rodada, o Irã se defendeu o jogo todo e fez um gol nos acréscimos. Contra a Espanha, não teve a mesma sorte. Com boa atuação do sistema defensivo e do goleiro Beiranvand, os iranianos não permitiram o toque de bola envolvente, que fez famosa a atual geração do futebol espanhol. O gol salvador saiu em um lance de sorte de Diego Costa. A bola bateu em sua perna e entrou. As jogadas bem tramadas de toque de bola no ataque espanhol não aconteceram.

Apesar do placar magro, o jogo era bom, principalmente pela atuação do Irã. Os avanços esporádicos ao ataque causavam furor na torcida e, após sofrerem o gol, passaram a ousar mais. A possibilidade de um gol de empate tornou a partida mais tensa e movimentada. O gol iraniano, anulado por ter sido marcado em impedimento, mostrou, por um momento, que a grande maioria da Arena Kazan queria ver as estrelas da Espanha, mas torcia pelo time mais fraco.

Uruguai 1 x 0 Arábia Saudita

Na coletiva realizada no dia anterior, o meio-campista do time árabe Taisser Al Jassam afirmou que o objetivo do time era melhorar a imagem, arranhada após uma goleada impiedosa aplicada pela Rússia no jogo de estreia. E isso de fato ocorreu. Muito mais organizada na defesa, a seleção árabe ofereceu um jogo duro para os uruguaios. Apesar da derrota, o que se viu em campo foi um time digno de disputar uma Copa do Mundo.

O gol uruguaio foi marcado pelo centroavante Luis Suárez, jogador do Barcelona. O gol foi carregado de importância. Além de dar a vitória, garantiu a classificação do time às oitavas de final e, de quebra, colocouo nome de Suárez na história da Celeste. Ele é o primeiro jogador do país a marcar gols em três Copas do Mundo. Já havia marcado nas duas copas anteriores, em 2010, na África do Sul, e no Brasil, em 2014.

Confira a tabela de classificação da Copa do Mundo.

FONTE: Agência Brasil

🔔 ATIVAR NOTIFICAÇÕES

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

Os comentários não representam a opinião do Patos Notícias. A responsabilidade pelos comentários é dos respectivos autores.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.