Secretaria de Estado de Saúde participa do II Fórum de Hepatites Virais

Compartilhe

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Com o novo Protocolo Clínico de Diretrizes Terapêuticas para Hepatites Virais e abordando assuntos como o fluxo de dispensação de medicamentos de alto custo, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), em parceria com o Ambulatório de Hepatites Virais do Instituto Alfa de Gastroenterologia do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), realizou nesta segunda-feira (11/9), o II Fórum de Hepatites Virais. O evento ocorreu no salão nobre da Faculdade de Medicina da UFMG.

Com a presença da Diretora de Vigilância Epidemiológica da SES-MG, Janaína Almeida, e da representante da Superintendência de Assistência Farmacêutica da SES-MG, Flávia Rabelo, farmacêuticos e profissionais de saúde de diversos municípios mineiros foram atualizados sobre os assuntos referentes à doença.

Fazendo parte da mesa de abertura, a representante da Superintendência de Assistência Farmacêutica da SES-MG, Flávia Rabelo, abordou o fluxo de dispensação de medicamentos do Estado de Minas Gerais. Flávia explicou todo o processo até a entrega dos medicamentos.

“A porta de entrada para que o usuário possa conseguir o medicamento é o Núcleo de Atenção Farmacêutica. A partir deste ponto, ocorre a conferência da documentação, a avaliação e análise técnica documental da solicitação ou da renovação da continuidade do tratamento. Por último ocorre a fase de dispensação que é a retirada do medicamento pelo usuário”, explicou.

A Diretora de Vigilância Epidemiológica da SES-MG, Janaína Almeida, destacou que o II Fórum de Hepatites Virais foi de extrema importância para capacitar os profissionais participantes em relação ao novo protocolo clínico de diretrizes terapêuticas, publicado na última segunda-feira (04/09), no Diário Oficial da União.

“O novo protocolo contempla a alteração de algumas medicações, o aumento dos pacientes elegíveis ao tratamento e a discussão da modificação e do diagnóstico oportuno dos pacientes, principalmente agora com a introdução do teste rápido de hepatite B e C na Atenção Básica”, disse.

Participando do evento, a Farmacêutica da Farmácia de dispensação de medicamentos antirretrovirais de Ibirité, Lázara Montezano Lopes, aprovou a realização do evento. “Saber o real fluxo para a dispensação do medicamento é muito importante, principalmente para orientarmos os usuários que nos procuram e que precisam do tratamento”, disse.

A doença

A Hepatite C é uma inflamação do fígado, causada pelo vírus VHC e transmitida por sangue contaminado. Assim como outros tipos, a hepatite C não desperta sintomas e por isso, muitas vezes as pessoas não sabem que tem a doença.

No Brasil, estima-se que cerca de 2 milhões de pessoas tenham hepatite C e que a grande maioria dessas pessoas não desconfia que têm o problema. O tratamento é medicamentoso, feito com uma combinação de medicamentos.


Problemas em visualizar essa matéria? Clique aqui e confira a íntegra.


Fonte: AGÊNCIA MINAS

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
A responsabilidade pelo comentário é totalmente do respectivo autor. Comentários com 15 votos negativos a mais que positivos serão removidos automaticamente. Achou um comentário ofensivo? Clique em "denunciar".

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.