São Paulo: 40% da frota de ônibus não irá circular nesta quinta-feira

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

A prefeitura de São Paulo informou no início da noite de hoje (23) que cerca de 40% da frota de ônibus do transporte coletivo do município não deverá circular amanhã (24). Segundo a administração municipal, a redução ocorre em razão da greve dos caminhoneiros, que afeta o abastecimento de combustível para o sistema de transporte.

A prefeitura destacou ainda que, caso a paralisação persista até a próxima sexta-feira, a frota que realiza coleta de lixo poderá ser afetada. “A administração municipal vai solicitar à Justiça que determine a suspensão dos bloqueios aos centros de distribuição de combustível”.

- Continua depois da publicidade -

São Paulo - Paralisação dos motoristas de ônibus e cobradores na Avenida Nove de Julho, região central da cidade (Rovena Rosa/Agência Brasil)

Frota de ônibus em SP será reduzida nesta quinta-feira -Arquivo/ Rovena Rosa/Agência Brasil

De acordo, com a prefeitura, as empresas mais afetadas serão Norte Buss, Qualibus, Transunião, Express, Pêssego, Via Sul, Imperial, A2, Gatusa, Transkuba, Transwolff e Alfa Rodobus.

Os caminhoneiros protestam há três dias contra os seguidos aumentos do preço do diesel. O movimento tem fechado algumas estradas, o que já impacta no abstecimento de combustível em algumas regiões do país. As principais reivindicações da categoria são a redução de impostos sobre o preço do óleo diesel, como PIS/Cofins e ICMS e o fim da cobrança de pedágios dos caminhões que trafegam vazios nas rodovias federais que estão concedidas à iniciativa privada.

 

Restaurantes

A Associação Nacional de Restaurantes (ANR) informou que a paralisação dos caminhoneiros já começou a afetar alguns restaurantes e redes de alimentação. Segundo a entidade, redes como Divino Fogão, Domino’s, Habib’s, Koni, Subway, Spoleto e The Fifties estão com problemas de desabastecimento em algumas de suas unidades.

De acordo com a ANR, demais redes que atuam com centros de distribuição podem ser atingidas nos próximos dias se não houver uma solução. “Esperamos verdadeiramente que o governo e a categoria possam chegar a um entendimento ainda esta semana. Do contrário, teremos mais problemas não apenas em nosso segmento, mas para toda a população”, destacou a ANR em nota.

*texto atualizado às 20h01 para acréscimo de informações 
 

FONTE: Agência Brasil

- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -