Saiba como aproveitar a Páscoa com equilíbrio

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

É importante se permitir experimentar doces típicos da época, desde que seja com consciência e bom senso

Foto: Divulgação

O brasileiro é apaixonado por açúcar e isso não é novidade. Cada um tem seu momento de prazer preferido e dificilmente abre mão de um docinho no dia a dia. E não precisa abrir mesmo! Mas, durante datas festivas, há dúvidas do quanto e como se pode consumir açúcar sem exagerar. Na Páscoa, por exemplo, a oferta é grande e as opções são diversas. O grande desafio é como aliar os prazeres dessas comemorações e o equilíbrio na alimentação.
Nesse período do ano, é comum as pessoas comerem um pouco mais do que costumam fazer diariamente. O problema é quando exageram com a desculpa: “Já que comi um pedaço, vou comer todo o resto do ovo/bolo”. A nutricionista Marcia Daskal conta que “muitas vezes, esse exagero evidencia um problema maior, que é a restrição alimentar, gerando, inevitavelmente, uma overdose durante às festas”. Essa restrição, comum na vida de muitas pessoas, leva à compulsão, o que representa o real problema dentro de uma alimentação considerada, de forma equivocada, saudável.
Nada em exagero faz bem. Por isso, a dica é entender que, no momento da vontade, é importante se permitir comer, mas com bom senso. “Quando deixamos de experimentar algo que queremos muito, acabamos compensando esse desejo em outros alimentos e em maiores quantidades, ou seja, no final, o excesso acontece de qualquer forma”, explica a nutricionista.
Uma alternativa para quem tem vontade de degustar ovos de chocolate e outros doces tradicionais da Páscoa é comer um pouquinho por dia. “Os ovos tem validade longa e podem ser guardados – comendo um pouco por dia você não deixa de ter o prazer momentâneo e pode até prolongá-lo. Repartir os chocolates com a família ou colegas de trabalho também garante que você desfrute o momento sem exagerar. Nós sentimos o prazer na língua e, por esse motivo, comer rápido ou muito não traz mais prazer do que comer pouco e com calma”, completa Marcia.
Outro ponto que merece ser discutido nessa quebra de rotina é o sedentarismo. Tirar uma folga da academia ou aulas de ginástica durante o feriado é aceitável, porém, isso não pode se tornar frequente. Para o preparador físico Marcio Atalla, tudo é uma questão de compensação: “Nessas datas é importante comemorar, comer e se divertir, mas lembrar que no dia ou semana seguinte a rotina volta ao normal, assim como a atenção ao gasto de calorias. Quem gasta mais, pode incluir maiores quantidades e variedades no cardápio”.
Fazer com que a diversão do feriado se torne aliada ao equilíbrio é uma boa estratégia. Na Páscoa, por exemplo, são feitas muitas brincadeiras que envolvem movimento, como a caça aos ovos em parques ou até dentro de casa. Atalla explica que “participar de gincanas com as crianças e até de provas mais elaboradas para os adultos é uma opção estimulante e conveniente. O importante é se mexer!”.
Tudo é uma questão de satisfação combinada à prudência. Não se deve aliar o gosto por comer à culpa, já que a comida, além de proporcionar energia para o corpo, tem efeito socializador. Uma alimentação saudável é aquela que envolve tanto variedade, como limite. Quando se entende que não é necessário sofrer para ter um estilo de vida saudável, a rotina deixa de parecer algo chato e custoso, para se tornar prazeroso.

Déborah Santos
Triângulo Notícias
07/04/2017

- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -