Rodovias ruins encarece preço de mercadorias em MG

De acordo com a CNT, mais de 60% da malha rodoviária mineira está em condições ruim ou regular.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O escoamento de mercadorias no Brasil depende, quase que exclusivamente, das rodovias. Em Minas Gerais, de acordo com dados da Confederação Nacional do Transporte (CNT), mais de 60% da malha rodoviária está em condições ruim ou regular.

Uma das rodovias em más condições é a BR-497, que liga Uberlândia à Prata. Os principais problemas apontados pelos motoristas são a péssima qualidade do asfalto e a pouca sinalização.

De acordo com o professor do departamento de Engenharia de Transporte e Geotecnia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Ronderson Hilário, a qualidade das rodovias impacta o desenvolvimento da economia, já que os preços cobrados do consumidor final são mais caros.

“Com rodovias de qualidade inferior, a mercadoria chega ao consumidor final com tempo de viagem maior, e isso encarece no frete. E já que você tem um problema nas rodovias, você vai ter um encarecimento maior no preço de manutenção do caminhão que impacta diretamente na mercadoria. Então, construir rodovias com qualidades melhores, o custo final para o consumidor tende a ser menor, porque o custo de logística é menor para o empresário”.

Em ano eleitoral, os temas ligados à infraestrutura têm sido cada vez mais discutidos pelos postulantes ao Planalto. Henrique Meirelles, candidato à presidência pelo MDB, por exemplo, defende a ampliação do sistema ferroviário.

“É fundamental nós transformarmos o Brasil em um canteiro de obras. De maneira a que o agronegócio possa ter um transporte mais rápido e de menor custo. E ao mesmo tempo, não usar somente as estradas, mas as ferrovias, que tem um sistema mais eficiente para transportar grandes quantidades.”

Para Ciro Gomes, do PDT, é necessário ainda investir em hidrovias, que têm custos menores de manutenção e operação. Marina Silva, da Rede, propõe a criação de seguros para acelerar a emissão de licenças ambientais.

Reportagem: Juliana Gonçalves

Foto: Reprodução (Agência Brasil)

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
A responsabilidade pelo comentário é totalmente de seu respectivo autor. Comentários com 15 votos negativos a mais que positivos serão removidos automaticamente. Para denunciar um comentário ofensivo clique na bandeira vermelha.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.