Rio: manifestantes protestam contra possível corte em bolsas da Capes

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Centenas de pessoas protestaram no Rio, na noite desta sexta-feira (3), contra a possibilidade de cortes nas bolsas oferecidas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Caso a suspensão se confirme, o que foi negado hoje pelo presidente Michel Temer, a falta de dinheiro poderá afetar, em agosto do ano que vem, 93 mil estudantes e pesquisadores. O ato foi realizado na Cinelândia, em frente à Câmara Municipal.

A falta de recursos, segundo os manifestantes, acarretaria a interrupção nos projetos de pesquisa, atrasando e até inviabilizando trabalhos de anos. Para os manifestantes, se houver corte de recursos, o maior prejudicado será o próprio país, pois, além da possibilidade de uma “evasão de cérebros” para o exterior, levaria a prejuízos econômicos.

- Continua depois da publicidade -

“A ciência e a tecnologia já vêm sofrendo cortes ano após ano. Se isso ocorrer, significa abandonarmos um projeto de soberania nacional. Sem pesquisa e sem tecnologia, é muito difícil avançar, pois aumenta a nossa dependência tecnológica internacional. Isso já está provocando uma fuga de cérebros de nosso país”, alertou Dan Gabriel D´Onofre, professor da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e diretor regional do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições Superiores de Ensino (Andes).

“Estamos aqui neste ato na defesa dos investimentos para a educação, ciência e tecnologia e contra os cortes na Capes. Nós temos na Uerj [Universidade Estadual do Rio de Janeiro] um corpo de pós-graduandos muito grande, que podem ficar sem bolsa, se o orçamento de fato for cortado. Se isso ocorrer, vai acabar com a inovação e com uma perspectiva de soberania nacional, porque a pesquisa no Brasil é feita 80% nas universidades. São estudos que constroem uma tecnologia refinada, de alto rendimento, que só pode ser produzida e pensada por pessoas financiadas pelo governo”, disse Natália Trindade, estudante de mestrado de ciências sociais da Uerj.

O problema foi levantado nesta quinta-feira (2) pelo Conselho Superior da Capes. Em nota enviada ao Ministério da Educação (MEC), o conselho alertou que, se for mantido o orçamento previsto para o órgão em 2019, haverá suspensão das bolsas de pós-graduação e de programas de formação de professores no mês de agosto.

Fonte: Agência Brasil


Clique aqui para ler essa matéria na fonte original


 

- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -