Reconstrução da Síria vai custar US$ 250 bilhões, diz ONU

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O anúncio da nova rodada foi feito pelo enviado especial das Nações Unidas, Staffan de Mistura, em Genebra.Os temas do encontro serão transição política, nova Constituição, eleições livres e medidas antiterrorismo.

Eenviado especial das Nações Unidas para a Síria, Staffan de Mistura Foto: ONU/Violaine Martin/Arquivo

A reconstrução da Síria custará pelo menos US$ 250 bilhões, disse nesta segunda-feira (28) Staffan de Mistura, enviado especial do secretário-geral das Nações Unidas para o país. Ele informou aos Estados-membros do Conselho de Segurança da ONU que a guerra dos últimos seis anos obrigou metade da população síria a fugir das suas casas.

De Mistura disse acreditar que chegou o momento da verdade para o diálogo, falando dos preparativos para a oitava rodada do diálogo de paz entre as partes do conflito que devem começar esta terça-feira (29) em Genebra, com participação de uma delegação do governo da Síria e representantes da oposição.

Saiba Mais

A ação de “várias partes e as várias mudanças de agenda” estiveram entre os obstáculos para se obter um acordo nos últimos anos, disse o enviado especial da ONU. Segundo ele, continua real “o perigo de fragmentação da integridade territorial, da soberania e da independência” da Síria.

De Mistura falou ainda da atuação Estado Islâmico do Iraque do Iraque e do Levante (EI),  grupo terrorista que considerou o “maior e o mais rico da história. Os integrantes do EI vieram de mais de 100 países, praticando o uso da força contra civis numa escala horrível”, argumentou.

Comboio recuou

Ele destacou a preocupação das Nações Unidas com a violência ocorrida nas últimas semanas na parte oriental da região síria de Ghoutha, após um comboio de várias agências da ONU e da Cruz Vermelha da Síria não ter conseguido entrar na localidade de Nashabieh. Estima-se que 400 mil pessoas vivam nessa área rural de Damasco.

Os confrontos obrigaram o comboio a recuar com alimentos, artigos de saúde e de nutrição para mais de 7 mil necessitados da região. De Mistura disse que a decisão foi tomada após a ocorrência de bombardeios e explosões, apesar de terem sido dadas garantias de passagem segura antes do deslocamento do comboio.

Edição:

Fonte: Agência Brasil

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
ATENÇÃO: Dê preferência em utilizar sua conta do Facebook ou Google para comentar. Comentários com cinco descutidas serão submetidos a moderação. Para denunciar um comentário, clique na bandeira vermelha.
Os comentários não refletem a opinião do portal. A responsabilidade dos comentários é integralmente de seus autores. O Patos Notícias se reserva ao direito de remover postagens que violem seus termos de uso ou as leis vigentes sem prévia notificação.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.