Programa Música Minas promove shows e oficinas de tambores na Itália

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

A Divina Banda já nasceu com o status de supergrupo. Criada este ano para homenagear o músico Marilton Borges – integrante da Banda Santa, uma das mais tradicionais bandas de carnaval da capital -, o grupo reúne em seu corpo nomes importantes da música produzida em Minas Gerais. Maurício Tizumba, Rodrigo Borges, idealizador do projeto e filho de Marilton, Ian Guedes, filho de Beto Guedes, e Jorge Continentino são alguns dos músicos que integram a banda, que traz em seu DNA o carnaval do bairro Santa Tereza, a MPB e o tambor mineiro.

O grupo, que fez sua estreia em maio no famoso Bar do Museu Clube da Esquina, se apresenta pela primeira vez fora do país nesta quinta-feira (26/10), na Casina Pompeiana, em Nápoles, sul da Itália. A trupe também ministra oficinas de tambores aos italianos.

- Continua depois da publicidade -

A viagem foi viabilizada com recursos do programa Música Minas, edital da Secretaria de Estado de Cultura (SEC) que promove o intercâmbio cultural e viabiliza viagens por municípios de todo o Brasil e dos cinco continentes do mundo.

Somente neste ano 56 propostas foram contempladas pelo edital, que levou artistas mineiros a lugares diversos como Japão, Alemanha, Argentina, África, Suíça, além de outros estados, interior do Brasil e de Minas Gerais.

O convite para a Divina Banda se apresentar na Itália partiu de Bruno Marfé, diretor da Casina Pompeiana, onde a banda realizará shows de 26 a 28 de outubro, e do Conselheiro de Cultura de Nápoles, Nino Danielle.

“Estamos muito felizes com essa oportunidade. Ficamos muito honrados por termos sido contemplados pelo Música Minas. Ter o projeto endossado pela Secretaria de Estado de Cultura constata a força do tambor mineiro e nos coloca como embaixador na Itália dessa expressão cultural. Isso é muito significativo para nós”, avalia o guitarrista Rodrigo Borges.

No dia 28 de outubro, quando a Divina Banda faz seu show de despedida em solo italiano, a rede de televisão estatal do país de Verdi, a RAI, veiculará a apresentação ao vivo em cadeia nacional.

“Para nós é muito importante ter essa visibilidade. Trocar experiências nos modos de tocar os tambores e levar para a população italiana a cultura do tambor mineiro é um privilégio.  Esse intercâmbio cultural é um início de um casamento cultural longevo com a Itália”, acredita Rodrigo.


Problemas em visualizar essa matéria? Clique aqui e confira a íntegra.


Fonte: AGÊNCIA MINAS

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -