Professoras descobrem que menina de 9 anos era estuprada pelo primo

As funcionárias da escola desconfiaram dos abusos diante do comportamento da menina, que estava quieta e chorosa nos últimos dias; suspeito de 25 anos não foi localizado pela polícia.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
CRIANÇA ERA ESTUPRADA PELO PRIMO
Foto: Ilustrativa
Texto: José Vítor Camilo
Fonte: Super Notícia (O TEMPO)

A desconfiança de professoras de uma escola de Juiz de Fora, na Zona da Mata, levou a família de uma menina de 9 anos a descobrir, nessa quarta-feira (18) que o primo dela, de 25 anos, estava estuprando a criança. O suspeito não foi encontrado pela polícia, que segue  fazendo buscas pelo homem.

Conforme as informações do boletim de ocorrência da Polícia Militar (PM), a corporação foi acionada por volta das 16h30 por funcionários da Escola Estadual Professor José Freire, localizada no bairro Industrial.

- Continua depois da publicidade -

Na unidade educacional, os militares foram informados pela vice-diretora e uma funcionária que no dia anterior elas perceberam que a menina estava muito quieta e chorosa. Ao indagarem se algo estaria acontecendo em casa, a vítima acabou relatando que o primo vinha tocando constantemente em seu corpo, sem entrar em maiores detalhes.

Foto: Estupro foi descoberto por funcionários da Escola Estadual Professor José Freire.
Foto: Reprodução

Já no dia da ocorrência, como a criança continuava com o comportamento anormal, as funcionárias da escola resolveram chamar a menina para conversar na presença de testemunhas, quando ela relatou que no último sábado (14) o primo teria tocado suas partes íntimas sobre a roupa e ainda a forçou a praticar sexo oral nele.

A criança revelou ainda que constantemente o familiar mostrava sua genitália para ela e fazia ameaças de agressão caso ela não fizesse o que ele mandava. Diante da denúncia, ainda segundo a PM, as professoras resolveram então acionar o Conselho Tutelar e a polícia.

Na casa do suspeito, a mãe do rapaz disse que ele não estava em casa por estar trabalhando no bairro São Mateus, não sabendo precisar qual o local. Diante disso, a mãe da vítima foi orientada sobre todas as medidas a serem tomadas.

O estupro de vulnerável será investigado pela Polícia Civil.

- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -