Procon recupera quase R$60 mil para consumidora lesada em fraude virtual

A atuação do órgão foi decisiva para que o valor fosse recuperado.

Compartilhe

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Coordenador do Procon, Rafael Godinho.
Foto: Arquivo Patos Notícias

O Procon de Patos de Minas atua continuamente com o objetivo de proteger aqueles que, na relação de consumo, são os mais vulneráveis: os consumidores. Dentre os diversos casos que chegam diariamente ao órgão, um chamou a atenção pelo enorme prejuízo que teria sido causado se não houvesse intervenção para resolver o problema.

A história aconteceu com a administradora de empresas Ana Maria(*). No dia 28 de maio, ela descobriu que quase R$60 mil tinham sido transferidos de sua conta bancária. Segundo Ana, o aplicativo do banco do qual é cliente estava bloqueado, mas, mesmo assim, foram realizadas três transações quase simultâneas. A administradora de empresas procurou a agência e, apesar de comprovar que as transferências não tinham sido realizadas por ela, o problema não foi resolvido.

“Embora meu aplicativo fosse bloqueado, a instituição financeira alegou que eu tinha dado abertura para os estelionatários invadirem minha conta. Diante da negativa do banco em me restituir o dinheiro, procurei o Procon para tentar resolver a situação”, informou a vítima da fraude, acrescentando: “Depois disso, eles afirmaram que o caso foi novamente analisado e comprovado que houve falha no sistema”, completou.

O resultado de tudo isso foi a restituição do valor total transferido da conta, quase R$ 60 mil. “Sou muito grata ao Procon, pois o apoio prestado a mim e a intervenção do órgão na minha demanda foi fundamental para a solução do problema”, declarou Ana Maria.

“Ficamos muito satisfeitos com o resultado desse caso. Uma situação como essa é muito angustiante para o consumidor, mas saber que tudo foi resolvido é gratificante para nós”, declarou o coordenador do Procon de Patos de Minas, Rafael Godinho. “Nosso papel em situações como essa é analisar os fatos e provas apresentados e, se restar provado o direito do consumidor, tentar solucionar o problema”, finalizou.

(*) Nome fictício

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
A responsabilidade pelo comentário é totalmente do respectivo autor. Comentários com 15 votos negativos a mais que positivos serão removidos automaticamente. Achou um comentário ofensivo? Clique em "denunciar".

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.