Presidente da FAESP afirma que agronegócio quer desburocratização e redução do crédito rural

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O setor também busca o aumento da produtividade, competitividade e sustentabilidade. 

A tecnologia pode ser uma aliada para a promoção da sustentabilidade no campo.
Foto: Divulgação
O Presidente da Federação da Agricultura do Estado de São Paulo (FAESP), Fábio de Salles Meirelles, disse, no lançamento do Agro+ – parceria da entidade com os Governos Federal e Estadual – que o foco do agronegócio é a elevação da produtividade e da eficiência com competitividade e sustentabilidade. 
Existe hoje, pontua Meirelles, um reconhecimento de que o agronegócio atingiu um patamar de desenvolvimento relevante, a partir da integração de seus elos de consolidação de suas cadeias produtivas, tendo como base de sustentação o avanço tecnológico, o ganho de produtividade qualidade e eficiência, impulsionados pela abnegação, coragem e fé de milhões de homens e mulheres do campo.
O agronegócio ganhou forma ao integrar e erguer grandes cadeias de produção, como, por exemplo, a de açúcar e etanol, suco de laranja e café, em episódios de economia agrícola que tivemos a oportunidade de contribuir. “Mas se as conquistas foram fantásticas até o momento, as grandes questões de humanidade e os desafios colocados não são menores, exigindo de nós todos, setores privado e público- ainda mais assertividade e pragmatismo”.
Diante disso, o Plano Agro + encontra paralelo nas ações do setor privado, pois o Sistema FAESP/SENAR e SEBRAE-SP estavam iniciando a segunda etapa do Programa “ do Campo ao Consumo”, tal qual programas do SEBRAE-SP e SENAR/SP como o Agrofácil, Agrotech, Pró Leite, Jovem Agricultor do Futuro, Feira do Produtor Rural.
O Presidente reconhece que são necessários esforços do Governo Federal e do MAPA em busca da eficiência eficácia de política Agrícola, implementando planos para a desburocratização e redução do crédito rural; fortalecimento da política de gestão dos riscos climáticos agropecuários (climático e de mercado) vez que esta é a palavra e ordem política agrícola do século 21; redução da violência no campo. 
O sistema patronal tem ao longo dos Anos incentivado a produção para o fortalecimento do desenvolvimento socioeconômico do país, a fim de garantir o abastecimento da nossa população e gerar excedentes exportáveis. “ Nossa missão é fomentar a produção de alimentos, fibras e energia. Apoiaremos sempre toda e qualquer iniciativa que promova a produção, como é o caso do Agro+”. 
Déborah Santos
18/03/2017

- Continua depois da publicidade -
- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -