Presidente da COPASA não cede e Falcão diz começará a multar a companhia

Presidente chegou a abandonar a coletiva após ser pressionado por jornalistas. Falcão disse que criará comissão para fiscalizar a companhia.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O presidente da COPASA, Carlos Eduardo Tavares, participou de reunião com o prefeito de Patos de Minas, Luís Eduardo Falcão (PODEMOS), nesta terça-feira (22).

Carlos Eduardo disse que é uma oportunidade de vir a Patos de Minas para fazer uma agenda de trabalho e mostrar pontos importantes ao prefeito. Porém o Falcão disse que a reunião foi bastante dura e que fez cobranças a COPASA, que segundo ele, não cumpre totalmente o contrato.

Falcão mostrou vídeos de poluição no Rio Paranaíba e pediu que o contrato seja cumprido. “Falei que a população não estava satisfeita com a COPASA, sugeri um rompimento amigável do contrato, mas ele disse que não podia fazê-lo”. A multa em caso de rescisão contratual é de mais de R$ 300 milhões.

Falcão mostrou o contrato assinado pelo então prefeito Antônio do Valle no último mês do mandato dele em 2008 e ressaltou que foi péssimo para o município. “Infelizmente, neste contrato, está previsto tudo isso que está acontecendo agora, a COPASA fica muito tranquila para fazer da forma que está fazendo, porque não tem multa”, explicou.

O prefeito também criticou o aditivo assinado pelo ex-prefeito José Eustáquio, quando ele conseguiu os descontos para a cobrança da taxa de esgoto. “Tudo que está acontecendo hoje, não fui eu quem assinei. Então eu estou colhendo um problema que já estava aí, mas estou aqui para assumir a responsabilidade. Então fui bastante duro com o presidente, falei que a população de Patos (de Minas) não gosta do serviço, não aprova o serviço”, ressaltou.

Falcão disse que vai criar uma comissão na Prefeitura de Patos de Minas para fiscalizar e punir a COPASA se possível. Ele disse que a fiscalização será feita a risca. O prefeito disse também que nesta quarta-feira vai até a ARSAE (Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais) para pedir uma fiscalização “in loco”.

Questionado por jornalistas, o presidente da COPASA disse que veio confirmar os investimentos na ordem de R$ 47 milhões nos sistemas de abastecimento de água e de tratamento de esgoto. Anunciou ainda a licitação para as obras do tratamento de esgoto nos distritos de Patos de Minas. Esses investimentos já haviam sido anunciados em janeiro, clique e leia a reportagem postada na época.

Sobre os flagrantes de poluição no Rio Paranaíba, disse que a COPASA trata 90% do esgoto e cobrará todos os clientes que tem a rede conectada a ETE. Questionado sobre a cachoeira de esgoto do Bairro Barreiro e de outros pontos de despejo no Rio Paranaíba, Carlos Eduardo disse que não pode e não tem intenção de refutar os pontos que a imprensa colocou. “O que eu posso dizer é que a companhia trabalha para não ter nenhum tipo de lançamento”, rebateu.

Carlos disse ainda que o marco regulatório prevê que até 2033 os municípios tenham 90% da população atendida com coleta de esgoto e tratamento. “E hoje, em 2021, Patos de Minas tem 90% da coleta e tratamento de esgoto, então eu acho que os pontos que vocês estão colocando são as exceções, diferente da regra que acontece em toda a cidade”, contestou.

Após ser duramente questionado pela imprensa, o presidente da COPASA se irritou, tirou os microfones de lapela da camisa e deixou a entrevista sem responder mais nenhuma pergunta.

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.