"Não mediremos esforços e a passagem não vai aumentar" afirma Falcão sobre a Pássaro Branco

A empresa conseguiu liminar judicial que determinou o reajuste da tarifa, no entanto, a prefeitura recorrerá da decisão.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O prefeito de Patos de Minas, Luís Eduardo Falcão (PODEMOS), afirmou, nesta segunda-feira (08/08), que a gestão não mediará esforços e a passagem do transporte coletivo não aumentará. Ele destacou que a prefeitura vai recorrer da liminar judicial que determinou o reajuste.

De fato a empresa entrou na Justiça querendo um aumento no valor da tarifa, porque realmente o diesel quase que dobrou de preço nos últimos dois anos. Mas eu quero tranquilizar a população, porque nós não mediremos esforços e a passagem não vai aumentar. É uma prioridade manter as pessoas em condições de ir ao trabalho.

O jurídico da prefeitura terá até 30 dias para apresentar o recurso contra a liminar judicial.

ENTENDA A DECISÃO JUDICIAL

A Pássaro Branco conseguiu na Justiça uma liminar parcial que pode obrigar a prefeitura de Patos de Minas a reajustar a tarifa do transporte coletivo. A decisão do juiz Marcus Caminhas Faciani foi expedida em 2 de agosto.

Segundo a liminar a prefeitura deverá, num prazo de 10 dias – após a notificação, promover o reajuste da tarifa de modo que haja um equilíbrio financeiro entre a receita e a despesa da concessionária. Atualmente a passagem custa R$ 4,00. Apesar da decisão liminar, não há qualquer informação oficial se haverá ou não o reajuste da tarifa.

O repórter Lélis Félix procurou o diretor da Pássaro Branco. Eduardo Castanheira informou que as negociações amigáveis com a prefeitura não surtiram efeito e que por isso foi necessário judicializar. Ele argumenta que o valor do óleo diesel e da manutenção dos ônibus cresceram e que a empresa não consegue mais manter o equilíbrio financeiro.

Os funcionários da Pássaro Branco chegaram a ameaçar greve devido ao atraso do salário. Na última sexta-feira (05/08), a empresa anunciou que através de empréstimos viabilizou a quitação salarial.

O que diz a liminar?

A Pássaro Branco ajuizou uma ação ordinária com pedido de liminar contra o Município de Patos de Minas devido a um desequilíbrio contratual. A empresa pede que a tarifa seja reajustada para R$ 5,67.

A concessionária alega que este desequilíbrio contratual foi agravado pela pandemia de COVID-19 e também pelo aumento dos combustíveis.

Na visão da administração da Pássaro Branco, a tarifa de R$ 4,00 necessita de uma recomposição:

Isso porque, atualmente, a tarifa está em R$ 4,00 (quatro reais) ao passo que deveria equivaler R$ 5,67 (cinco reais e sessenta e sete centavos) de acordo com a tabela técnica utilizada, a qual sustenta que foi acompanhada, inclusive, por servidores do ente municipal (…).

O juiz Marcus Caminhas deferiu parcialmente a liminar e determinou que haja o reajuste tarifário, mas que o valor será a critério do executivo. Caso a tarifa seja menor do que R$ 5,67, a diferença será discutida no decorrer do processo judicial.

Clique aqui e acesse a íntegra da decisão.

Há possibilidade de greve?

Nas últimas duas semanas, o Patos Notícias informou que os funcionários da Pássaro Branco ameaçavam greve devido ao atraso de salário. O empasse chegou ao fim na última sexta-feira (05/08), após a empresa conseguir o dinheiro para quitar a folha de pagamento.

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

10 Comentários
O mais novo
Mais antigo mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
patense
09/08/2022 15:49

Passou da hora da Prefeitura de Patos de Minas abrir um processo de licitação para que outras empresas apresentem suas propostas. Uma empresa só é um absurdo.
Os empresários nunca podem diminuir seus lucros, e os trabalhadores é que pagam a conta sempre. Isso é resultado da má política que protege os ricos e os pobres cada vez mais pobres. O povo tem que protestar contra isso e não aceitar esse aumento e nenhum outro aumento, pois a liminar dá o direito da prefeitura oferecer um reajuste menor. Absurdo.

JUSTO!!!
09/08/2022 13:15

TEM SUBIR MESMO TUDO SUBIU DIESEL ,PREFEITO FAZEDO DE MEDIA COM IMPRENSA E REDES SOCIAL

Amilton Casagrande
08/08/2022 17:57

Olha já passou da hora, de termos outra Empresa de ônibus coletivo, em Patos de Minas. Bora lá prefeito abrir licitação pra isso? Não é porque é daqui, que temos ficar só com essa Empresa. Podemos ter duas ? Vamos ter duas.

Pirilampo da Silva
08/08/2022 17:03

“Passagem devassa” igual a cerveja é? Não seria por acaso “Passagem com preço defasado”? Pede aí uma devassa pra afogar o preço dessa passagem ordinária.

Absurdo.com
08/08/2022 15:01

Falta uma concorrência boa pra eles perderem esse trono que sentam a anos…

Aparecida
06/08/2022 07:52

Tem ki ter compromisso! Agente fica no ponto esperando rota 2 e rota 11 até 2 horas e ñ passa! Misericordia!!

Aparecida Pessoa
05/08/2022 21:38

Um absurdo. Nem atendem bem a população. Alguns bairros, como Campos Elíseos, o ônibus passa apenas 3 vezes ao dia. E vão ter o troco, né. KKK. Que dêem mais conforto ao usuário antes de reinvindicar.

Eric de Freitas
05/08/2022 18:53

Os lucros astronômicos pessoais de seus administradores/proprietários diminuíram ao passo que seus investimentos e gastanças descontroladas permanecem e até aumentam, assim não fecha; tem que gastar menos, Castanheira.

Junio Amorim
05/08/2022 17:18

Uma vergonha quererem cobrar 5,67 numa cidade do tamanho de Patos. Nem em cidade com o dobro de habitantes cobram tudo isso. Chega a ser vergonhoso

Pirilampo da Silva
05/08/2022 17:01

Só se for reajustar pra baixo, combustível só baixou por agora. Sem lógica querer aumentar. Questão dos salários dos motoristas, aí é com a empresa, nada a ver com dinheiro público.

A responsabilidade pelos comentários é dos respectivos autores. Eles não representam a opinião do Patos Notícias. Comentários com 15 votos negativos a mais que positivos são removidos.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAR ERRO

Usamos cookies para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências.  Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.