Patos de Minas 

Prefeitura e PM ajudam, mas algumas pessoas se recusam a sair das ruas

Constituição garante o direito do cidadão de ir e vir, inclusive de permanecer morado em ambientes públicos.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, com apoio da Polícia Militar, realizaram nesta manhã de quinta-feira (17/03) uma operação para retirar os moradores em situação de rua em Patos de Minas. A ação conjunta teve início por volta de 08h no Galpão do Produtor, no Bairro Lagoa Grande.

Durante a operação, na Orla da Lagoa Grande, uma moradora de Patos de Minas em situação de rua apresentava estar bastante doente, reclamando de muita dor e muito suja. Uma equipe do SAMU foi acionada para que ela fosse encaminhada a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), porém ela recusou atendimento médico. Ela também não quis qualquer tipo de ajuda e permaneceu na rua.

A Diretora de Assistência Social, Elisete Mundim Carneiro, disse que este trabalho é feito diariamente pelo pessoal pela Prefeitura de Patos de Minas, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS).

Os assistentes sociais abordam os moradores em situação de rua, que são encaminhadas para o CREAS, onde é oferecido banho, alimentação e abrigo. Aquelas pessoas que não são de Patos de Minas, são encaminhados às cidades de origem. Já aquelas pessoas que estão em situação de rua e que residem em Patos de Minas, o CREAS oferece tratamento numa clínica de reabilitação.

Elisete contou que existe muita resistências destas pessoas em situação de rua. Eles alegam que “tem o direito de ir e vir” e se recusam sair daquela situação, o que dificulta o trabalho dos servidores municipais. Algumas pessoas nesta situação chegam a ser agressivos com os servidores municipais. “É um trabalho difícil, não é fácil não, e demanda tempo”, finalizou.

O tenente Daniel Oliveira disse que a Polícia Militar apoia o trabalho desenvolvido pelo CREAS, já que este é um trabalho mais social do que policial. Segundo ele, este é um problema mundial e que, desde que não cometa nenhum crime ou perturbação, ele tem o direito de permanecer naquele local.

Tenente Daniel frisou ainda que está é uma questão que necessita de uma união de esforços entre os órgãos públicos para tentar resolver este problema. Segundo ele, as equipes vão percorrer a cidade e abordar estas pessoas em situação de rua.

Segundo o CREAS, o balanço da ação foi positivo: cinco pessoas retornaram para as próprias casas em Patos de Minas e nove receberam passagens para voltar às cidades de origem (Belo Horizonte, Uberaba e João Pinheiro). Apenas uma mulher não aceitou ajuda e, nesse caso, a Assistência Social não tem amparo legal para retirá-la das ruas.

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

1 Comentário
O mais novo
Mais antigo mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Jair Nunes Cardoso
17/03/2022 12:10

Infelizmente ainda tem muitas pessoas que dão dinheiro pra essas pessoas que vivem nas ruas da cidade de Patos de Minas viu. Se todas as pessoas recusar dar dinheiro e até mesmo abrigo,com certeza eles iam procurar ajuda no órgão responsável por isso,e com essa atitude do povo de Patos de Minas, esses que são de fora iam caçar outro rumo pra eles,pq enquanto tiver gente que dá dinheiro e abrigo,eles não irão sair daqui não. Prefiro ajudar uma instituição do quê ajudar diretamente a esses moradores de rua ,pq quando dá eles dinheiro é óbvio que eles vão comprar… Ler mais...

A responsabilidade pelos comentários é dos respectivos autores. Eles não representam a opinião do Patos Notícias. Comentários com 15 votos negativos a mais que positivos são removidos.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Usamos cookies para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências.  Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.