Polícia conclui inquérito e aponta motivação da chacina de Paracatu

Rudson teria sido afastado de uma célula de oração e teria cometido os crimes para se vingar.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Rudson foi baleado pela PM. Ele ficou internado e em seguida encaminhado ao presídio.
Foto: Reprodução (Facebook)

A Polícia Civil de Paracatu concluiu na última terça-feira (28/05) o inquérito que apurou a morte de quatro pessoas. O crime aconteceu no dia 21 de maio e foi composto por duas etapas: esfaqueamento da ex-namorada e chacina no interior de uma igreja.

De acordo com informações da polícia, Rudson Aragão Guimarães teria sido retirado de um cargo de liderança na igreja. A partir deste momento, ele passou a enviar mensagens em grupos de WhatsApp e com o passar do tempo foi excluído pelo pastor.

Rudson teria matado a ex-companheira pelo fato dela continuar frequentado a igreja. A Polícia Civil também apontou que ela teria negado um empréstimo de dinheiro à ele.

As vítimas que estavam no interior da igreja teriam sido mortas como uma forma de vingança. Rudson foi indiciado por quatro homicídios com duas qualificadoras – por motivo torpe e impossibilidade de resistências das vítimas. Além disso, ele foi acusado pela Tentativa de Homicídio do pastor.

O inquérito será entregue a justiça e a partir dai iniciados os trâmites que antecederão o julgamento. Se condenado ele pode pegar até 150 anos de prisão.

Rudson permanece preso no Complexo Penitenciário Nossa Senhora do Carmo em Carmo do Paranaíba.

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. A responsabilidade dos comentários é integralmente de seus autores. Comentários que são considerados como spam ou ofensivos devem ser denunciados diretamente ao Facebook. O Patos Notícias se reserva ao direito de remover postagens que violem seus termos de uso ou as leis vigentes sem prévia notificação. 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.