Polícia Civil investiga divulgação de vídeo com cenas de sexo envolvendo uma criança de 3 anos em Patos de Minas

Caso foi denunciado pelo MPE em Patos de Minas, onde material está sendo compartilhado pelo WhatsApp. Algumas pessoas já foram identificadas, diz delegado.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Foto: Arquivo (Patos 1)

Fonte: MGTV – Tv Integração

A Polícia Civil de Patos de Minas, no Alto Paranaíba, investiga a divulgação de um vídeo e fotos compartilhadas em grupos de Whatsaap, onde uma criança aparece participando em um ato de sexo explícito com um adulto. O caso foi denunciado pelo Ministério Público Estadual que teve conhecimento do material ilícito.

- Continua depois da publicidade -

Segundo o delegado adjunto Saulo Santos, as investigações tiveram início há cerca de 15 dias, após o MPE ter recebido as imagens que mostra uma menina de pouco mais de três anos e uma pessoa, aparentando ser maior de idade.

“São duas investigações, uma para apurar quem filmou e praticou o crime e outra para saber quais pessoas estão compartilhando o material. Ainda não sabemos se o vídeo e as fotos foram feitos em Patos de Minas, mas é crime o compartilhamento do material e quem for identificado será também indiciado no inquérito”, disse.

Saulo Santos informou ainda que algumas pessoas já foram identificadas. “Ressaltamos que tudo que se faz pelo computador e internet deixam rastros e temos como alcançar as pessoas que estão envolvidas na ação”.

O promotor da Promotor Infância e da Juventude, Paulo Henrique Delicoli, enfatizou o cuidado ao compartilhar vídeos pelas redes sociais. “O Estatuto da Criança e do Adolescente prima pela imagem para que a criança não seja estigmatizada. A vítima do vídeo está sendo submetida a uma situação vexatória e humilhante. Devemos aproveitar esse momento para fazer uma reflexão: se fosse nosso filho, aceitaríamos essa conduta?”, finalizou.

- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -