Polícia Civil desmonta esquema que gerou prejuízo milionário

O suspeito de ser o líder do esquema foi preso. Ele teria criado uma empresa de investimentos e prometido retorno de 30% a 100% ao mês.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Polícia Civil desmonta esquema que gerou prejuízo milionário
O esquema envolvia negócios com criptomoedas, como o bitcoin.
Foto: Reprodução (Pixabay)

Um golpe de estelionato envolvendo esquema de pirâmide financeira com abrangência em todo o país foi desmantelado após quatro meses de investigações da Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG). O suspeito de ser o  mentor e líder da organização criminosa, foi preso em um resort no distrito de Arraial d’Ajuda, Porto Seguro (BA), onde levava uma vida de luxo. Um dos integrantes, apontado como laranja nas operações também foi detido durante a ação policial.

As informações da PCMG dão conta de que há vítimas que tiveram prejuízo superior a R$ 1 milhão com os golpes. Segundo os levantamentos dos policiais do Departamento Estadual de Investigação de Crimes contra o Patrimônio (Depatri), o suspeito de ser o líder iniciou as atividades criminosas em Montes Claros, no Norte de Minas, onde fundou uma empresa financeira com o objetivo de captar investidores no setor de criptomoedas e Mercado Forex.

- Continua depois da publicidade -

Para tanto, ele organizou uma rede de captadores que prometia retorno dos investimentos a uma taxa de 30% a 100% ao mês, com aporte mínimo de R$ 1,5 mil. Há cerca de um ano, a empresa desapareceu do mercado e o suposto líder se escondia dos credores de diversas regiões do país.

No resort que morava, pelo aluguel de R$ 30 mil ao mês, o suspeito contava com seguranças armados e chegou até mesmo a se isolar em uma ilha do litoral baiano em uma das fugas.

- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -