Pianista coromandelense irá fazer homenagem ao clarinetista Abel Ferreira em SP

A homenagem acontece hoje (18), a partir das 20h, no Teatro Pedro II, em Ribeirão Preto-SP.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Rodrigo Antônio
Foto: Divulgação

O jovem pianista Rodrigo Antônio Silva (23) é natural de Coromandel, há mais de seis anos está residindo em Ribeirão Preto-SP. O músico, juntamente com dois amigos, Guilherme Pereira (viola), Igor Picchi (clarinete) irão homenagear o clarinetista Abel Ferreira, filho ilustre de Coromandel.

Em 2015, foi comemorado o centenário do musicista coromandelense. Abel morreu em 1980 e se estivesse vivo, estaria atualmente com cento e dois (102) anos. A praça central de Coromandel tem o seu nome, Abel Ferreira, uma maneira de prestar homenagem a um dos filhos nobres da terra.

Com 12 anos, o profissional começou a aprender música e clarineta com José Ferreira de Resende e Hipácio Gomes, em Coromandel. Aos 17 mudou-se para Belo Horizonte e passou a tocar alguns instrumentos musicais.

Guilherme Pereira (viola), Rodrigo Antônio (piano) e Igor Picchi (clarinete)
Foto: Divulgação

Quando se fala de clarineta, no Brasil, o primeiro nome que aflora à memória costuma ser o de Abel Ferreira. Não só pela ordem alfabética, mas pelo papel fundamental que exerceu na construção de um repertório brasileiro, baseado no choro e na seresta e na herança deixada por um modo de tocar, profundo e envolvente.

Tão importante quanto o intérprete é o Abel compositor. Algumas de suas invenções, muitas vezes transpassadas por uma melancolia que lhes imprime um caráter intimista, tornaram-se clássicos. Nas contas do próprio Abel, compôs mais de cinquenta músicas, entre elas “Acariciando”, “Luar de Coromandel” e “Chorinho do Suvaco de Cobra”, são melodias de tal forma identificadas com a alma musical brasileira que não há quem não se encante ao ouvi-las em uma roda de choro.

O pianista Rodrigo, juntamente com os colegas musicistas, Guilherme e Igor irão participar do “Amigos da Casa”, projeto cultural que visa apresentações diferentes e com gêneros musicais variados. Os três músicos decidiram interpretar repertório nacional, principalmente do instrumentista de Coromandel.

Abel Ferreira
Foto: Divulgação

“Foi uma honra receber o convite para a apresentação no palco do Teatro Pedro II (o terceiro Teatro de Ópera mais importante do país), estou muito feliz em poder interpretar o repertório de um compositor da minha cidade que gosto muito”, afirma o pianista coromandelense.

Abel Ferreira gravou seu primeiro choro, “Chorando baixinho”, em 1942. No ano seguinte foi para o Rio de Janeiro tocar nos Cassinos e nas rádios. Fez duetos memoráveis com Zé da Velha e com Pixinguinha, com quem gravou “Ingênuo”, em 1958. Viajou o mundo todo e até seus últimos anos de vida, continuou soprando o instrumento, em shows com Copinha e Raul de Barros.

A apresentação que presta homenagem ao clarinetista de Coromandel acontece hoje (18), a partir das 20h, no Teatro Pedro II, em Ribeirão Preto-SP.

Wagner Honorato – Triângulo Notícias

 

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS