Pessoas desistem de vacinar após saber a marca; saiba o que é fato sobre vacinas

Em Patos de Minas, a prefeitura reforça a conscientização através das redes sociais. Pesquisas comprovam a efetividade de todas as vacinas contra a COVID-19.

Compartilhe

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer
AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer são eficazes contra a COVID-19 e estão disponíveis em Patos de Minas.
Foto: Reprodução

A Prefeitura de Patos de Minas registra vários casos de desistência durante a aplicação da vacina contra a COVID-19. Isso ocorre quando a pessoa descobre qual a marca do imunizante, são dois os cenários mais frequentes:

  • AstraZeneca: as pessoas justificam que sentem receio dos sintomas causados após a aplicação;
  • CoronaVac: questionam a eficácia desta vacina.

No Brasil, a pessoa não pode escolher o imunizante. Ela receberá a vacina que estiver disponível no local de aplicação.

Todos os imunizantes aplicados no Brasil foram aprovados pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). A AstraZeneca e a CoronaVac foram autorizadas em conjunto pela agência, sendo inclusive, produzidas no Brasil através da Fiocruz e do Instituto Butantan, respectivamente. Ambas as vacinas apresentam certificação internacional.

Qual a eficácia da CoronaVac e da AstraZeneca?

Uma pesquisa feita no Brasil, mostrou que a CoronaVac apresenta 100% de eficácia para não desenvolver a fase grave da COVID-19, 78% para casos leves e 50,38% para não adoecer. Um outro estudo, da OMS (Organização Mundial da Saúde), mostrou que este imunizante apresenta 41% de eficácia contra a fase sintomática, 71% contra mortes e 59% contra hospitalização.

Os percentuais são discrepantes, porque cada pesquisa usa uma população especifica, isto é, há uma diferença entre as variantes em circulação em cada país e isso vale para todo e qualquer imunizante. No Chile, por exemplo, a CoronaVac apresentou 86% de efetividade contra mortes, 87% contra hospitalizações e 66% para casos assintomáticos.

A AstraZeneca, segundo estudo no Reino Unido, apresenta eficácia de 60% contra a doença sintomática após a 1ª dose. Já depois da segunda aplicação, o percentual sobe para 78%.

Devo escolher qual tomar?

A única escolha que você deve fazer é a seguinte:

Ser imunizado ou ser hospitalizado e até morrer pela COVID -19?

Todas marcas disponíveis em Patos de Minas, AstraZeneca, Pfizer, CoronaVac e Janssen, são eficazes contra a COVID-19. Nenhuma evitará, com 100% de efetividade, que você contraia a forma leve da doença, mas elas não permitirão, na maioria dos casos, que o vírus se replique evitando a hospitalização.

Escolha viver!

E as reações? A AstraZeneca é pior?

Todos os imunizantes aplicados no Brasil, inclusive para outras doenças como a gripe, estão sujeitos a efeito colateral. O desenvolvimento de sintomas, após a aplicação, depende de sujeito para sujeito. Algumas pessoas são vacinadas com a AstraZeneca e não sentem nada, já outras desenvolvem febre fraca e indisposição.

A AstraZeneca dá mais reação? Verdade, devido a tecnologia aplicada (adenovírus inativado) a vacina estimula o sistema imunológico de forma mais rápida. As reações são leves e desaparecem em cerca de 48 horas.

A vantagem é muito maior do que o incômodo temporário. Se você não se vacinar e contrair a COVID-19, pode desenvolver uma fase grave, ser hospitalizado, entubado e até morrer. Já com a vacina, o máximo que você terá que fazer é ficar de repouso por algumas horas, no conforto de sua casa.

Uma outra vacina que causa efeito colateral e é largamente aplicada é a do Sarampo. É comum ela gerar febre, mal-estar e vermelhidão, mas todas as crianças tomam e através dela erradicamos a doença.

Campanha de Conscientização

O prefeito municipal, Luís Eduardo Falcão (PODEMOS), se vacinou contra a COVID-19 em 26 de julho. Antes da aplicação ele disse que tomaria a “kit” e brincou “kitiver”. Depois de receber a dose, ele não quis revelar a marca e implorou que a população se vacine com a marca “que tiver”.

A assessoria de comunicação da prefeitura compartilha nas redes sociais campanhas bem humoradas de incentivo a imunização independente da marca. Confira a seguir:

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
A responsabilidade pelo comentário é totalmente do respectivo autor. Comentários com 15 votos negativos a mais que positivos serão removidos automaticamente. Achou um comentário ofensivo? Clique em "denunciar".

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.