Pesquisa revela que estudantes do segundo ano fundamental têm dificuldade de escrita

Dados foram divulgados pelo Ministério da Educação
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Um a cada quatro alunos do segundo ano do ensino fundamental não sabe escrever uma palavra de três sílabas a partir de um ditado, é o que diz o relatório do Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB), divulgado pelo Ministério da Educação (MEC) nesta quarta-feira (04). As provas que compõem o exame foram realizadas com alunos de oito anos em 17 estados do país.

Essa é a primeira vez que a avaliação foi aplicada para avaliar a alfabetização de estudantes do 2º ano do fundamental. A aplicação do teste foi mediada por aplicadores que leram partes das questões para a turma. A ideia era que o desempenho dos estudantes em tarefas mais básicas de leitura pudesse ser medido mesmo que o estudante ainda não estivesse plenamente alfabetizado.

Os níveis são medidos em escalas de 1 a 8. Os resultados foram divulgados por níveis de proficiência, mas não foram indicados quais patamares são considerados adequados. Os resultados das provas, juntamente com as taxas de aprovação, reprovação e abandono, apuradas no Censo Escolar, compõem o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

Dos 5,6 milhões de estudantes que foram submetidos à realização das provas de Português e Matemática, apenas 5% dos estudantes chegaram ao nível 8, onde são capazes de inferir informações em textos longos, enquanto que 17,8% alcançaram o nível 4, onde conseguem escrever palavras trissílabas ou localizar informações explicitas no final de um texto curto. Já 27,5% estão nos níveis 1, 2 e 3 de desempenho ou até abaixo do nível mínimo.

Em Matemática, a conclusão é de que metade está nos níveis de 1 a 4 (em uma escala de 1 a 8) ou abaixo do nível mínimo. Alunos com esse desempenho não são capazes, por exemplo, de identificar, em um calendário de determinado mês, o dia da semana em que se inicia.

 

*Com informações do MEC

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS