Pesquisa mostra que 68% dos bolivianos não querem nova candidatura de Morales

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Evo Morales (Arquivo/Roosewelt Pinheiro/Agência Brasil)

Evo Morales preside a Bolívia desde janeiro de 2006 e atualmente está em seu terceiro mandato –Arquivo/Roosewelt Pinheiro/Agência Brasil

Pesquisa realizada pelo Instituto Ipsos e divulgada nessa terça-feira (24) mostrou que 68% dos bolivianos rejeitam a possibilidade de o presidente do país, Evo Morales, ser candidato nas eleições de 2019 para tentar o quarto mandato seguido. A informação é da Agência EFE.

- Continua depois da publicidade -

Foram ouvidas 1.000 pessoas nas dez principais cidades do país entre os dias 1º e 10 de outubro, com uma margem de erro de 3,1 pontos percentuais. O apoio para que Morales volte a se candidatar é de 30%, de acordo com a pesquisa.

Em nove cidades, a rejeição às pretensões do presidente está entre 53% e 83%. Em La Paz, a capital do país, 67% dos moradores se opõem à candidatura de Morales. Já em Santa Cruz de La Sierra, esse índice chega a 75%.

A única cidade que apoia uma reeleição de Morales é El Alto, vizinha de La Paz, com 52% – 46% rejeitam a hipótese.

Horas antes, a emissora RTP divulgou outra pesquisa da Ipsos, que indica que a aprovação do governo de Morales caiu de 58% para 57%. Por outro lado, a desaprovação subiu de 34% para 39%.

O partido de Morales apresentou ao Tribunal Constitucional um recurso para que o presidente seja novamente candidato em 2019, alegando que deve ser respeitado o direito de ele voltar a ser escolhido pelo povo.

Morales preside a Bolívia desde janeiro de 2006 e atualmente está em seu terceiro mandato, que termina em janeiro de 2020.

Os eleitores do presidente começaram na semana passada uma mobilização para que ele seja candidato nas próximas eleições.

*É proibida a reprodução total ou parcial desse material. Direitos Reservados

Edição:

Fonte: Agência Brasil

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -