PCMG faz denúncia de mulheres por diversos crimes em Carmo do Paranaíba

Inquérito consta crimes de falsa identidade, falsidade de documento particular, denunciação caluniosa, perseguição, fraude processual e corrupção de menores.

Compartilhe

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Inquérito foi fechado na tarde desta terça-feira (28/09).
Foto: PCMG/divulgação

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) concluiu e indicou duas mulheres, de 36 e 45 anos, por crimes de falsa identidade, falsidade de documento particular, denunciação caluniosa, perseguição, fraude processual e corrupção de menores, bem como a lavratura de procedimento em desfavor da adolescente infratora, de 17 anos, pela prática de ato infracional análogo ao crime de falsa identidade. Os crimes foram cometidos em Carmo do Paranaíba, região do Alto Paranaíba.

As investigações tiveram início em agosto deste ano, após informações de que um indivíduo teria cometido lesão corporal em âmbito de violência doméstica em desfavor de uma das indiciadas. Ao longo das investigações, verificou-se que os fatos não se deram da forma como a qual a investigada teria alegado, tratando-se então de denunciação caluniosa.

De posse das informações, a equipe de policiais civis da Delegacia de Polícia Civil em Carmo do Paranaíba iniciou diversas levantamentos investigativos.

De acordo com o apurado, a indiciada falsificou documento particular para adulterar um exame de gravidez. Posteriormente, a PCMG comprovou que a mulher teria ludibriado uma funcionária de laboratório clínico para passar a adolescente, que estava grávida, como gestante do filho da vítima.

A PCMG obteve provas de que as mulheres pagaram à adolescente R$100 para que ela comparecesse ao laboratório e fornecesse sangue para amostra do exame de gravidez, configurando o crime de corrupção de menores e falsa identidade.

A principal mentora e investigada do procedimento foi indiciada pela prática dos crimes de falsa identidade, falsidade de documento particular, denunciação caluniosa, perseguição, fraude processual e corrupção de menores, todos em concurso material de crimes, sendo que se somadas às penas de referidos delitos, estas poderão ultrapassar 20 anos.

A coautora, tia da suspeita, que auxiliou materialmente e moralmente na execução de condutas, foi indicada pelos crimes de falsidade de documento particular, falsa identidade e corrupção de menores. Já a adolescente infratora, será responsabilizada por ato infracional análogo ao crime de falsa identidade.

O inquérito policial foi concluído e encaminhado ao Poder Judiciário. A Polícia Civil ressalta a importância da população no combate ao crime, e pede aos cidadãos que denunciem através dos telefones 181 ou (34) 3851-2070 e através do WhatsApp da Delegacia (34) 3851-2070, sendo que o sigilo é garantido.

🔔 ATIVAR NOTIFICAÇÕES

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

Os comentários não representam a opinião do Patos Notícias. A responsabilidade pelos comentários é dos respectivos autores.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.