Patos de Minas continua na onda amarela do Minas Consciente

Em decisão, nesta quinta-feira (24), o comitê decidiu manter a microrregião na onda amarela. Já a macrorregião noroeste continua na vermelha.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

A microrregião de Patos de Minas continuará na onda amarela do Programa Minas Consciente. A informação foi divulgada na tarde desta quinta-feira (24) pelo governo do estado. Com a medida, o município permanecerá nesta onda pelo menos até o dia 3 de julho.

Por outro lado, a macrorregião noroeste segue na onda vermelha. O comitê municipal se reuniu na tarde desta quinta-feira (24) e decidiu seguir a micro, ou seja, a onda amarela.

Confira a seguir as principais regras da onda amarela.

Na onda amarela os comerciantes podem aumentar a lotação dos estabelecimentos. A distância de uma pessoa para a outra é de um metro e meio. A distância linear é de 4 metros quadrados e o número máximo de pessoas em eventos é de 250.


O Comitê Extraordinário Covid-19, grupo de trabalho que acompanha a situação da pandemia no estado, divulgou nova resolução dapara cirurgias eletivas, aquelas sem caráter emergencial.

Os procedimentos, que estavam suspensos desde fevereiro, voltam a ser liberados, mas agora poderão ser realizados de acordo com normas específicas para cada onda do , plano do governo para retomada segura e gradual da economia.

O Comitê Extraordinário Covid-19, grupo de trabalho que acompanha a situação da pandemia no estado, divulgou nesta quinta-feira (24/6) nova resolução da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) para cirurgias eletivas, aquelas sem caráter emergencial.

Os procedimentos, que estavam suspensos desde fevereiro, voltam a ser liberados, mas agora poderão ser realizados de acordo com normas específicas para cada onda do Minas Consciente, plano do governo para retomada segura e gradual da economia.

Na onda vermelha, fase em que há protocolos mais rígidos para funcionamento do comércio, serão liberados procedimentos cirúrgicos em ambientes ambulatoriais.

Já na onda amarela, etapa intermediária do plano, procedimentos cirúrgicos hospitalares que não demandem intubação orotraqueal (com inserção de tubo até a traqueia) ou sedação profunda ficam autorizados.

Na onda verde, a mais flexível, todos os tipos de eletivas ficam permitidas, mas caberá ao gestor local e da unidade de atendimento analisar a sua realidade no que diz respeito à disponibilidade de leitos, equipes, equipamentos e insumos hospitalares.

Vale ressaltar que mutirões para realização de cirurgias eletivas seguem proibidos. As recomendações valem para as redes pública e privada.

Ainda segundo o Comitê Covid, houve redução de 13% nas solicitações para internação nas últimas quatro semanas. Já a taxa de incidência da doença caiu 3% nos últimos 14 dias e 14% nos últimos sete dias.

Ondas nas macrorregiões

Ainda durante a reunião, o Comitê Covid-19 divulgou as atualizações de ondas do Minas Consciente. Em relação à última semana não houve mudanças significativas no cenário geral. Assim, 12 das 14 macrorregiões seguem na onda vermelha.

Vale do Aço e Sudeste permanecem na onda amarela, enquanto Centro, Jequitinhonha, Leste, Noroeste, Norte, Triângulo do Norte e Triângulo do Sul seguem na onda vermelha. Também nesta etapa estão as macrorregiões Centro-Sul, Leste do Sul, Nordeste, Oeste e Sul, porém se enquadram na classificação de Cenário Epidemiológico e Assistencial Desfavorável e passam por análise mais minuciosa dos indicadores de incidência e espera por atendimento.

“Nos últimos sete dias vimos poucas alterações no estado. Algumas regiões ainda seguem como foco de atenção porque o chamado grau de risco continua maior’’, destacou o secretário adjunto de Saúde, André dos Anjos.

Ele reforçou a necessidade de a população usar máscara, fazer a higienização correta das mãos e manter o distanciamento. “São cuidados necessários mesmo entre as pessoas que já tomaram a vacina”, ressaltou.

André dos Anjos também afirmou que é possível observar queda na proporção de óbitos pelo coronavírus entre a população idosa. Entre as pessoas com idade de 70 a 79 anos, por exemplo, o número caiu de 50% para 26% do total das mortes registradas pela doença no estado.

Ondas nas microrregiões

Na análise por microrregiões houve progressão para onda verde em Coronel Fabriciano. Já as micro de Curvelo, Patrocínio/Monte Carmelo, Guanhães, Itabira, Araçuaí, Turmalina/Minas Novas, João Pinheiro, Patos de Minas, Janaúba, Montes Claros e Taiobeiras poderão avançar para onda amarela.

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.