Parada LGBT de Madureira reúne milhares de pessoas no Rio

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Parada LGBT de Madureira

Parada LGBT de MadureiraThiago Martins/Grupo Movimento de Gays, Travestis e Transformistas

A 17ª Parada LGBT de Madureira, na zona norte do Rio de Janeiro, movimenta as ruas do bairro. Segundo os organizadores, cerca de 800 mil pessoas estão concentradas. A Polícia Militar informou à Agência Brasil que não faz cálculos sobre o número de participantes. A previsão da coordenação do encontro é que quando começar o desfile dos trios elétricos pelas principais vias de Madureira, às 19h, atinja um público de 1,2 milhão de pessoas. Até lá estão previstos vários shows, entre eles das cantoras Ludmila e Lexa.

- Continua depois da publicidade -

Este ano o tema é A união nos une, mas a nossa luta nos fortalece. A presidente do Grupo Movimento de Gays, Travestis e Transformistas (MGTT), que há 17 anos organiza a Parada, Loren Alesxander, disse que o tema foi escolhido para reforçar a ideia de que com toda a sociedade há um combate mais efetivo contra o preconceito. Para a transsexual, a questão não é de falta de conhecimento sobre a diversidade. “Na dificuldade nós nos unimos mais. Os governos têm que entender que somos muitos, somos bons filhos e pagamos os nossos impostos e merecemos respeito”, disse.

Por dificuldades de patrocínio, a data da marcha foi alterada três vezes. Loren revelou que só se tornou possível após a liberação de R$ 150 mil pela empresa de bebidas Ambev, mais R$ 175 mil da Uber e R$ 40 mil da Prefeitura, sem contar as isenções feitas pela administração do município do pagamento de alvarás para a realização da programação. “A dificuldade ainda existe porque há preconceito sobre a questão LGBT. O preconceito existe sobre isso. Essa é a nossa causa e a nossa luta para resolver esta questão”, disse.

Mas para chegar a esses valores para que a tradição fosse mantida e a parada ocorresse este ano, os organizadores tiveram que levar a frente um intenso processo de negociação para garantir os recursos necessários. O coordenador especial de Diversidade Sexual da Prefeitura do Rio, Nélio Geogini, disse que até a metade do ano não havia qualquer patrocínio garantido. A partir daí, uma força tarefa foi montada para conseguir os recursos incluindo os dos governos federal, estadual e municipal.

“Não foi tão fácil, mas teve todo um caminho que movimentou estado, união, município e empresas privadas. Foi um trabalho muito legal. Tenho certeza que essa Parada de Madureira, vai ser a parada da paz, de todo mundo junto”, completou.

Monitoramento

O Centro de Operações monitora a região em tempo real, por meio de 18 câmeras, agentes nas ruas e coletas de informações de usuários do aplicativo Waze e de GPS dos ônibus, para facilitar o acionamento de equipes se houver necessidade.

Limpeza

A empresa de limpeza urbana Comlurb atua com uma equipe de 90 garis, 10 fiscais e agentes de limpeza urbana, que vão trabalhar em três turnos, das 7h de domingo até as 6h de segunda-feira (27). Haverá 100 contêineres de 240 litros distribuídos no percurso principal para que o público deposite o lixo.

Segurança

Além da Polícia Militar, a Guarda Municipal vai apoiar o patrulhamento com 52 guardas, que vão atuar no ordenamento urbano e na fiscalização do trânsito, controlando os pontos de bloqueios ao tráfego definidos pela Companhia de Engenharia de Trânsito do Rio (CET-Rio).

 


Problemas em visualizar essa matéria? Clique aqui e confira a íntegra.


Fonte: Agência Brasil

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -