Operação Olho Vivo prende homem de 30 anos por tráfico de drogas em Rio Paranaíba

A operação foi realizada pela Polícia Civil, em conjunto com a Polícia Militar.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

A Polícia Civil de Minas Gerais, através da Delegacia de Polícia de Rio Paranaíba, com apoio das Delegacias de Polícia Civil de Carmo do Paranaíba e São Gotardo, em ação conjunta com a Polícia Militar e utilizando os cães farejadores da ROCCA – Ronda Ostensiva Com Cães Adestrados, de Patos de Minas nesta sexta-feira (12/03), na cidade de Rio Paranaíba, deflagrou a Operação Olho Vivo, objetivando desmantelar a rede de fornecimento de entorpecentes na cidade.

Foram cumpridos quatros mandados de busca e apreensão em diversos endereços de Rio Paranaíba. Grande parte dos levantamentos de inteligência investigativa e o acompanhamento de toda operação se deu pela utilização do sistema olho vivo em operação na cidade, daí o nome da referida operação.

A ação contou com a participação de mais de vinte policiais entre civis e militares, nove viaturas e dois cães de faro.

Foram apreendidos diversos materiais relacionados ao tráfico de drogas, entre eles três balanças de precisão, um livro com anotações de dívidas de drogas, mais de 25 celulares, armas brancas e uma réplica de armas de fogo.

Os cães farejadores ainda encontraram considerável quantidade de substância análoga a crack dentro de um cano em uma das residências investigadas. A Perícia Técnica da Polícia Civil também compareceu ao local e fez diversos levantamentos, inclusive constatando que a substância apreendida era de fato Crack.

No total mais de dez pessoas já foram ouvidas pela Polícia Civil.
Um indivíduo de 30 anos foi preso e encaminhado para o presídio em Patos de Minas.

Dois outros inquéritos foram abertos.

Essa é mais uma das diversas ações programadas para o combate da criminalidade no município de Rio Paranaíba e região.

Os nomes e imagens dos investigados não serão divulgados em razão da preservação do sigilo das investigações e em atenção a Lei Nº 13. 869, de 5 de setembro de 2019.

A autoridade policial responsável pelas investigações, Dr. Felipe Augusto Miranda Façanha, ressalta a importância da celeridade nas apurações em crimes desta natureza, combinado com a união de informações entre os órgãos de segurança pública da comarca, para a determinação de autoria e consequente responsabilização precisa de envolvidos nas empreitadas criminosas.

Por fim, a Polícia Civil de Minas Gerais reitera seu compromisso com a repressão da pratica de crimes, informando que não mede esforços no combate a criminalidade, contando sempre com a participação da população através do disque denúncia unificado 181 ou através do telefone 3855-1550, para um resultado mais rápido e eficaz das nossas ações.

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.