Olho Vivo Cidadão levará monitoramento aos bairros de Patos de Minas

O intuito é compartilhar imagens de câmeras residenciais e comerciais com a Polícia Militar.

Compartilhe

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Olho Vivo Cidadão ampliará monitoramento nos bairros de Patos de Minas
Capitão Hebert explicou sobre o projeto e sua importância para a segurança pública.
Foto: Lélis F./Triângulo Notícias

As câmeras de vídeo são uma forte aliada da segurança pública. Em Patos de Minas existem 16 câmeras do “Olho Vivo“. Os equipamentos estão estrategicamente posicionados na região central. Além de ajudar na identificação de infratores, as câmeras também funcionam como mecanismo para coibir crimes.

A população também tem investido na segurança de suas residências e estabelecimentos comerciais. Câmeras de são instaladas em muros e monitoram a circulação de veículos e pedestres. Essas imagens, no entanto, ficam restritas ao morador e armazenadas, na maioria dos casos, em discos locais.

Os infratores, cientes disso, acabam danificando ou até mesmo roubando o equipamento que armazena essas gravações (DVR). Para evitar esse tipo de caso, o Conselho de Segurança Pública de Patos de Minas (CONSEP) e a Polícia Militar (PMMG) criaram o “Olho Vivo Cidadão“.

De acordo o Capitão Hebert, o intuito do projeto é ampliar o videomonitoramento para os bairros e desta forma coibir crimes e facilitar a identificação de infratores. O sistema consiste na conexão das câmeras residenciais e comerciais a uma plataforma online. As imagens serão transmitidas para um servidor na nuvem onde ficarão gravadas e poderão ser acompanhadas em tempo real. Desta forma, caso um criminoso quebre ou furte/roube os equipamentos, as gravações estarão seguras.

Olho Vivo Cidadão ampliará monitoramento nos bairros de Patos de Minas
Central de monitoramento do Olho Vivo em Patos de Minas
Foto: Lélis F./Triângulo Notícias

As imagens destas câmeras serão compartilhadas com as centrais de monitoramento e inteligência da Polícia Militar. Elas poderão ser consultadas para elucidar algum tipo de crime. Além disso, o proprietário poderá acompanhar os vídeos através da internet de qualquer lugar.

A privacidade é garantida, já que somente a Polícia Militar, a empresa de segurança e o morador terão acesso as imagens. A plataforma possui uma autenticação com usuário e senha. Os policiais não terão acesso a nenhuma câmera interna.

Como fazer parte do Olho Vivo Cidadão

O projeto está em fase inicial. Na próxima sexta-feira (30/08) será realizada uma apresentação para as empresas que atuam na segurança privada. A reunião acontecerá na sede da ACIPATOS, Rua Olegário Maciel, 63 – 201 – Centro, às 14:30.

O CONSEP e a PM fecharão uma parceria com essas empresas que serão as responsáveis por efetuar a instalação dos equipamentos. Os interessados em participar do “Olho Vivo Cidadão” devem preencher um cadastro no site (olhovivocidadao.com.br) e aguardar o contato de um representante das empresas.

A empresa realizará uma análise no equipamento que o cliente possui e fará um orçamento. Também é necessário possuir internet banda larga.

Os custos para essa implantação deverão ser arcados pelo morador. Além dos equipamentos, será cobrada uma mensalidade, que engloba os custos da plataforma online. O CONSEP estipulou um valor máximo de R$ 59,00 mensais. Desta forma, as empresas de segurança não poderão praticar um valor acima do fixado.

O Capitão Hebert ressaltou que os vizinhos podem se unir e desta forma dividir os custos de implantação do sistema. O benefício será grande: coibir crimes e facilitar a identificação de infratores.

🔔 ATIVAR NOTIFICAÇÕES

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

Comments System WIDGET PACK

Os comentários não representam a opinião do Patos Notícias. A responsabilidade pelos comentários é dos respectivos autores.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.