Nova caçada em goiás 

'Novo Lázaro' teria participado da morte de taxista em Serra do Salitre

Wanderson Mota Protácio agora é procurado pela morte da esposa grávida, da enteada e de um fazendeiro.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Wanderson Protácio chegou a ser preso pela morte de Maurício Mariano, mas foi solto quatro meses depois.
Foto: reprodução.

A polícia do Estado de Goiás está à procura do caseiro Wanderson Mota Protácio, de 21 anos, apelidado como “Novo Lázaro”. As buscas já duram cinco dias. Ele teria matado a esposa grávida, a enteada de dois anos e oito meses e um fazendeiro de 73 anos. Os crimes aconteceram na zona rural de Corumbá de Goiás (GO). Protácio ainda teria tentado estuprar a esposa do fazendeiro, que conseguiu fugir após se fingir de morta.

Em 2020, Wanderson Protácio teria participado do assassinato de um taxista na cidade de Serra do Salitre, crime este que chocou toda a região. A informação foi divulgada pelo portal R7.

O crime aconteceu em novembro de 2020 quando Wanderson Protácio e mais três rapazes teriam contratado o taxista Maurício Lopes Mariano, de 26 anos, em São Gotardo, para uma corrida até a cidade de Patrocínio. No caminho, em Serra do Salitre, o taxista foi brutalmente assassinado pelo quarteto. O corpo dele foi encontrado numa área de mata a cerca de um quilômetro da MG-230 no dia seguinte. A vítima estava com as mãos amarradas em uma árvore, com diversos cortes nas costas e ainda na nuca.

O taxi, VW/Space Fox prata, foi encontrado em uma residência na Rua Afonso José da Silva, no Bairro Enéas Ferreira de Aguiar, em Patrocínio. Dois dias depois, a Polícia Militar prendeu três rapazes e apreendeu dois adolescentes por participação no crime. Um rapaz de 18 anos foi preso por receptação. Dois adolescentes de 16 e 17 anos, um jovem de 18 anos e Wanderson Mota Protácio, de 20 anos, foram detidos por participação no crime. Os militares encontraram drogas com o quarteto.

Segundo o portal R7, quatro meses depois, Wanderson Protácio e os outros dois maiores de idade teriam sido liberados através de um habeas corpus. Em nota, a Polícia Civil de Minas Gerais informou que:

 “A PCMG, em seu relatório final, indiciou o suspeito pelos crimes de latrocínio, extorsão, corrupção de menores e tráfico.  O procedimento devidamente apurado e concluído dentro do prazo legal foi remetido à Justiça na data de 4/12/2020. A Polícia Civil informa ainda que o suspeito permaneceu no Sistema Prisional durante o período das investigações. Outras informações deverão ser solicitadas diretamente ao Ministério Público de Minas Gerais”

Protácio também responde por tentativa de homicídio em 2019 e chegou a ser preso na época, onde ficou quatro meses detido. Ele teria esfaqueado uma mulher e confessou o crime durante depoimento. Protácio debochou, riu e tentou justificar a agressão pelo fato de estar embriagado, além de ter feito uso de cocaína e maconha.

A caçada a Wanderson Mota Protácio já entra no quinto dia. Uma força tarefa foi montada e conta com a participação de mais de 50 policiais civis e militares, além do apoio da Polícia Rodoviária Federal. A operação fechou o cerco em três cidades: Corumbá de Goiás, onde os crimes aconteceram, Alexânia e Abadiânia, para onde ele teria fugido.

Wanderson Potácio foi apelidado como “Novo Lázaro”, alusão ao assassino que foi procurado por 20 dias no Estado de Goiás em junho de 2021. Lázaro foi morto a tiros após entrar em confronto com policiais em Águas Lindas de Goiás no dia 21 de junho de 2021.

 

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Usamos cookies para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências.  Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.