Mobilização Nacional: Várias cidades da região confirmam participação no protesto de amanhã (28)

Compartilhe

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Em Patos de Minas, a greve geral acontecerá na sexta-feira, 28 de abril, a partir das 8h, na praça Getúlio Vargas, em frente ao Fórum.

Foto: Mídia Ninja

No Triângulo Mineiro, além de Belo Horizonte, Uberlândia, Uberaba, Contagem, Betim, e Araxá, Lagoa Grande, Monte Carmelo, Carmo do Paranaíba, Rio Paranaíba, João Pinheiro, Tiros, Patrocínio, Presidente Olegário, Ituiutaba, Lagamar, Lagoa Formosa, Três Marias e Vazante e Patos de Minas participarão da greve.

Em Patos de Minas, representantes da FAEMG (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais), do SindComércio (Sindicato do Comércio), do SIMPA (Sindicato de Metalurgia) e do Sindicato Bancário confirmaram participação no protesto.

Em 17 de abril de 2016, quando a presidente eleita democraticamente, Dilma Rousseff, teve seu mandato cassado e seu vice, Michel Temer, foi definitivamente empossado, parte do país clamava por mudanças. E, de fato, elas vieram. Um ano após o impeachment, o atual governante propôs uma série de reformas que, realmente, beneficiam apenas uma pequena parcela da população.

Temer reformulou a grade do ensino médio, algo tido como fundamental e benéfico à população, pelo governo; mas amplamente combatido por aqueles que estão inseridos no ambiente escolar – alunos e professores se uniram e lutaram contra a proposta.
E agora, pretende reformular as leis trabalhistas e a previdência, reformas estas que beneficiarão a mesma parcela da população que apoiou o impeachment da presidente – impeachment este que foi pautado nas pedalada fiscais, prática que, tão logo Temer assumiu o governo, deixou de ser considerada crime passível de cassação.
A proposta da reforma previdenciária justifica-se (segundo o governo Temer) no simples fato de que os brasileiros estão vivendo mais, e, por isso, o número de idosos aumentará, e o dos jovens que contribuem, diminuirá.
Perante esse fato, o governo pretende que a idade mínima para requerer aposentadoria seja de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres, acabando com a possibilidade de aposentadoria exclusivamente por tempo de serviço no INSS. Além disso, eleva o tempo mínimo de contribuição de 15 para 25 anos.
Já a reforma das leis trabalhistas, direito conquistado pela classe e tão amplamente defendido e fundamentado na CLT – Consolidação das Leis Trabalhistas, prevê, principalmente, o parcelamento das férias anuais, aumento da jornada de trabalho – que poderá chegar a até 12 horas diárias e a 48 semanais, e a redução do horário de almoço – e alterações nas leis de terceirização.
Temer afirma que todas essas propostas são benéficas à população, mas a população, no entanto, não se sente beneficiada por nenhuma dessas propostas.
Diante disso, uma greve geral acontecerá no dia 28 de abril, sexta-feira. Capitais, cidades grandes e interioranas se unirão para demonstrarem seu descontentamento em relação às atitudes do governo.
Os organizadores patenses ressaltam que todas as categorias, classes e a comunidade estão convidados a participarem da Greve Geral.
Déborah Santos
Triângulo Notícias
27/04/2017

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
A responsabilidade pelo comentário é totalmente do respectivo autor. Comentários com 15 votos negativos a mais que positivos serão removidos automaticamente. Achou um comentário ofensivo? Clique em "denunciar".

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.