Ministro da Infraestrutura defende fim da pesagem por eixo de caminhão

Declaração foi feita em seminário virtual promovido por um banco privado.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, defendeu na segunda-feira (25) que caminhoneiros não sejam mais obrigados a realizar a pesagem por eixo. Segundo o ministro, a pesagem total do veículo é mais adequada para a  modernização do setor de transportes. A declaração foi dada durante um seminário virtual promovido por um banco privado.

No evento, o ministro também defendeu o fim dos postos de fiscalização. Em rodovias federais, por exemplo, o monitoramento de caminhões é de de responsabilidade da Polícia Rodoviária Federal (PRF). De acordo com o ministro, o Brasil deveria investir na pesagem dos caminhões em movimento. A declaração do ministro foi bem recebida pela Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), que diz que a pesagem por eixo é um método de fiscalização desatualizado.

No entanto, a declaração do ministro da Infraestrutura foi mal recebida pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (Abcr) que classificou como um “retrocesso” a hipótese de mudança do atual sistema de pesagem. O ministro da Infraestrutura não deu detalhes de como vai implementar as mudanças defendidas.por ele na reunião.

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. A responsabilidade dos comentários é integralmente de seus autores. Comentários que são considerados como spam ou ofensivos devem ser denunciados diretamente ao Facebook. O Patos Notícias se reserva ao direito de remover postagens que violem seus termos de uso ou as leis vigentes sem prévia notificação. 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.